Duas pizzas por US$ 300 milhões: a história da primeira compra com bitcoin

Duas pizzas por 10.000 bitcoins. Hoje parece loucura, mas foi essa a 1ª compra com a criptomoeda - e o que era só um experimento virou a data mais importante na história do setor
No total, o comprador estima ter gasto 100.000 bitcoins por pizza (Copyright/Getty Images)
No total, o comprador estima ter gasto 100.000 bitcoins por pizza (Copyright/Getty Images)
Por Gabriel MarquesPublicado em 21/05/2022 08:00 | Última atualização em 23/05/2022 09:46Tempo de Leitura: 5 min de leitura

Neste domingo, 22 se maio, serão completados exatos 12 anos de um dos acontecimentos mais importantes na história do bitcoin, e por consequência, da tecnologia blockchain e do mercado de criptomoedas. O evento virou até comemoração: o Bitcoin Pizza Day, na data em que foi realizada a primeira troca de uma criptomoeda por um produto - ou, no caso, dois.

Foi neste dia, em 2010, que um entusiasta da criptomoeda comprou duas pizzas com bitcoin. Foi a primeira compra realizada com bitcoin. E se hoje seria possível comprar uma pizza como uma ínfima fração de bitcoin, na época elas custaram bem mais: 10.000 bitcoins, equivalentes a pouco mais de US$ 40 na época e mais de US$ 300 milhões na cotação atual.

Para especialistas ouvidos pela EXAME, muito mais do que uma celebração de entusiastas, a data marca um período de reflexão sobre a trajetória da maior criptomoeda do mundo, seu lugar nos dias de hoje e, claro, onde ela pode chegar.

Duas pizzas por US$ 300 milhões

No dia 18 de maio de 2010, Laszlo Hanyecz, um programador da Flórida, nos EUA, publicou uma espécie de anúncio em um fórum online que reunia entusiastas da moeda digital, dizendo estar disposto a pagar 10.000 bitcoins por duas pizzas, grandes de preferência.

Ninguém respondeu à sua mensagem nos dias seguintes. Um usuário chegou a redirecionar Hanyecz para um site no qual poderia vender seus bitcoins por cerca de meio centavo cada e, então, comprar as pizzas.

Mas finalmente, no dia 22, um jovem de 19 anos aceitou a oferta e enviou duas pizzas Papa John's para a casa do programador. “Quero reportar que eu troquei 10.000 bitcoins por pizza com sucesso”, escreveu ele no mesmo fórum.

Por essa razão, até hoje, entusiastas da maior criptomoeda do mundo se reúnem nessa mesma data (online, claro) para celebrar o dia em que o bitcoin virou real para muitas pessoas, entre elas o próprio Henyecz. “A transação transformou o bitcoin em realidade para algumas pessoas. Com certeza para mim”, refletiu ele em uma entrevista à CBS em 2019.

Arrependimento?

Na mesma entrevista, Laszlo revelou que a troca foi somente a primeira de muitas que ele realizou depois. No total, ele estima ter gastado 100.000 bitcoins para comprar produtos - pizza, nas maioria das vezes. Na atual cotação, 55% abaixo da máxima histórica do bitcoin, isso seria equivalente a US$ 3 bilhões. Quando a criptomoeda bateu seu recorde de preço, em novembro de 2021, valeria mais que o dobro disso.

Mas o pioneiro das compras com bitcoin não se arrepende, e explica que via as criptomoedas mais como um hobby: “Eu quis fazer o lance da pizza porque era pizza de graça. Eu ganhei pizza por contribuir com um projeto de código aberto. Geralmente hobbies são consumidores de tempo e dinheiro, mas, neste caso, meu hobby me rendeu um jantar”, disse ele à Bitcoin Magazine. “Gosto de pensar que o que eu fiz ajudou. Mas se não fosse eu, outra pessoa teria feito o mesmo”, complementou.

(Mynt/Divulgação)

A importância do Bitcoin Pizza Day?

Segundo especialistas, a importância da data sai da sua ocorrência em si e acaba funcionando como um lembrete de que o bitcoin era subvalorizado até bem pouco tempo atrás. E também em como a tecnologia se desenvolveu para algo muito mais sólido desde então. “Acredito que o Pizza Day seja de extrema importância para o mercado cripto para demonstrar os avanços que o bitcoin teve com o passar do tempo. Além disso, esse dia se torna ainda mais significativo em momentos de bear market [mercado em queda] como enfrentamos atualmente”, disse Henrique Teixeira, global head of Business Development da corretora cripto Ripio.

“Acho que esse dia é essencial para que a comunidade possa refletir que mesmo com o mercado enfrentando momentos de volatilidade, o bitcoin tem se provado cada vez mais como um ativo seguro, que vem ganhando confiança e popularidade”, completou.

João Canhada, CEO da Foxbit enxerga o momento como um divisor de águas para os ativos descentralizados: "O pizza day se tornou icônico no mundo todo e tem uma importância histórica pra os bitcoiners e amantes da liberdade. Foi a primeira vez que um ativo digital verdadeiramente escasso, independente de ideologia, baseado puramente na matemática e sem pressão estatal foi usado por livre e espontânea vontade de forma totalmente voluntaria para uma transação comercial. É muito mais do que uma pizza, se trata de liberdade.”

“O Bitcoin Pizza Day é, talvez, o momento mais importante da história das criptomoedas desde o lançamento do bitcoin. Se não fossem aquelas duas pessoas que decidiram trocar 10.000 bitcoins por pizza, talvez não estivéssemos aqui hoje. Sem essa troca, não estaríamos falando do bitcoin a US$30 mil ou a US$ 69.000, como já atingiu recentemente”, complementou Caio Nascimento, gerente de marketing da Bitget para a América Latina.

Por fim, além de saborear uma pizza, o dia pode servir como reflexão, como disse Georgia Sanches, head de Business Development da LoopiPay: “Esse momento representa uma simbologia de  que uma grande parte do mercado pode ser cético com as criptomoedas, e mostra como o valor de um token pode mudar de forma inesperada, como raríssimos investimentos e em um curto espaço de tempo".

O Bitcoin Pizza Day, claro, também é usado pelas empresas do setor. Em 2022, diversas empresas que atuam no setor de cripto e blockchain aproveitaram a data para lançar promoções e ações de engajamento em torno da comemoração, como  descontos, cashback, desafios e muito mais. É, sem sombra de dúvidas, o grande evento do mercado cripto no ano.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok