Future of Money
Acompanhe:

Segundo pesquisa, 30% dos bilionários já investem em criptomoedas

Proporção de investidores em criptoativos é o dobro da média dos EUA entre os bilionários; apesar de detratores famosos, setor tem crescido entre os super-ricos

Pesquisa ouviu 65 bilionários e 30% já têm exposição direta ou indireta ao mercado cripto (salarko/Getty Images)

Pesquisa ouviu 65 bilionários e 30% já têm exposição direta ou indireta ao mercado cripto (salarko/Getty Images)

G
Gabriel Rubinsteinn

Publicado em 10 de junho de 2022, 17h41.

Última atualização em 10 de junho de 2022, 17h51.

A maioria dos nomes na lista de maiores bilionários do mundo nunca morreu de amores pelo mercado cripto. Mas, mesmo com nomes de peso como Warren Buffett e Bill Gates encabeçando o grupo de detratores das criptomoedas, a situação parece que começa a mudar, e um levantamento aponta que um terço dos super-ricos já investe em ativos digitais como bitcoin e Ethereum.

A pesquisa, realizada pela Forbes com 65 das pessoas mais ricas do mundo, mostrou que cerca de 30% deles já têm exposição direta ou indireta ao mercado cripto. A proporção é quase o dobro da registrada entre cidadãos "comuns" dos Estados Unidos — um estudo no final de 2021 mostrou que 16% dos adultos americanos já investem ou investiram em criptomoedas.

(Mynt/Divulgação)

Mais do que isso, a pesquisa da Forbes também mostra que muitos bilionários já têm participação considerável no mercado cripto: 18% afirmaram ter pelo menos 1% do seu patrimônio alocado nesta nova classe de ativos. A maioria esmagadora (80%), entretanto, não chega a 10% de sua carteira em cripto e apenas dois participantes informaram ter mais da metade de sua fortuna em criptomoedas.

Um deles, Sam Bankman-Fried, fundador e CEO da corretora FTX, afirmou que tem entre 76% e 100% de sua fortuna estimada em US$ 20 bilhões alocado em cripto. Ele foi, segundo a Forbes, um dos poucos participantes da pesquisa que aceitaram ser identificados nas respostas — a maioria preferiu fazê-lo de forma anônima.

Apesar de ainda sofrer com a resistência de bilionários famosos como Buffett e Bill Gates, o mercado cripto já tem a simpatia de vários outros, inclusive do homem mais rico do mundo, Elon Musk, que é um grande entusiasta do setor — tanto pessoalmente quanto profissionalmente, já que a Tesla investiu US$ 1,5 bilhão de suas reservas em bitcoin no início do ano passado.

Outro bilionário famoso que já embarcou há algum tempo no mercado cripto é Mark Cuban, apresentador do programa Shark Tank nos EUA, dono do Dallas Mavericks, da NBA, e um megainvestidor. Ele tem uma das maiores coleções de NFTs do mundo e já falou várias vezes sobre os ativos digitais da sua carteira.

Há, entretanto, bilionários que estão no "meio do caminho". Não são contrários ao mercado cripto, mas também não parecem lá tão interessados. Um exemplo é John Sobrato, bilionário do mercado imobiliário dos EUA, cujo envolvimento com o mercado cripto se deu com um investimento no a16z, fundo de venture capital que investiu nas maiores empresas de tecnologia do mundo e hoje tem um de seus focos principais no setor de cripto e blockchain.

O número de pessoas que investem no mercado cripto tem crescido rapidamente nos últimos anos. Considerando que há menos de dez anos era algo acessível apenas por programadores e pessoas com profundo conhecimento de computação, agora os ativos digitais já estão por toda parte, inclusive no bolso dos bilionários — e nas empresas que eles comandam.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok