ESG

“Mudanças climáticas” é a Palavra do Ano no Brasil em 2023, segundo pesquisa

Pesquisa da Cause com o Instituto Ideia sobre termos que impactaram os brasileiros neste ano definiu “mudanças climáticas” como Palavra do Ano, seguida por “resiliência” e “conflito”

Mudanças climáticas: termo é apontado como Palavra do Ano para 2023 (Leandro Fonseca/Exame)

Mudanças climáticas: termo é apontado como Palavra do Ano para 2023 (Leandro Fonseca/Exame)

Fernanda Bastos
Fernanda Bastos

Repórter de ESG

Publicado em 18 de dezembro de 2023 às 07h00.

Última atualização em 18 de dezembro de 2023 às 12h04.

Secas na Amazônia, fortes temporais no sul do país e a maior incidência de altas temperaturas ao redor do globo foram alguns dos eventos climáticos que marcaram o ano de 2023. Segundo pesquisa realizada pela consultoria em temas ligados à ESG (do inglês, Environmental, social and governance), CAUSE, em parceria com o Instituto de pesquisa IDEIA, a expressão do ano no Brasil é “mudanças climáticas”. O termo foi citado por mais de 1550 respondentes, correspondendo a 37% dos entrevistados. A pesquisa Palavra do Ano 2023 selecionou sete palavras para definir o ano. 

De acordo com a pesquisa, que também ouviu entrevistados das principais comunidades do país, o termo “mudanças climáticas” foi seguido por “resiliência” (14%) e “conflito” (12%) no ranking. Além dessas palavras, foram citadas também “inteligência artificial” (10%), “vulnerabilidade” (6%), “urgências” (5%) e “desinformação” (4%). No ano passado, as palavras escolhidas na pesquisa foram: “esperança”, “decepção” e “dificuldade”.

"Se antes as mudanças climáticas eram um alerta limitado a ecologistas, hoje o problema virou realidade e ganhou voz e preocupação para quase 4 em cada 10 brasileiros. De norte a sul, a população brasileira de todas as classes, faixas etárias, gênero e regiões sentiu como as mudanças climáticas agora fazem parte do nosso dia a dia. As mudanças climáticas de 2023 trazem o meio ambiente para a agenda em nosso país”, comenta Cila Schulman, CEO do Instituto de Pesquisa IDEIA.

A expressão “mudanças climáticas” ser a eleita entre os entrevistados confirma a tendência global em torno do tema. Dados do Google, apresentados pela BBC 100 Women, revelam que as buscas online pelo termo “ansiedade climática” – angústia causada pelos impactos do aquecimento global – aumentaram 73 vezes nos primeiros dez meses de 2023, se comparado com o mesmo período de 2017. Já segundo o The Economist, o termo escolhido para o ano de 2023 foi “inteligência artificial” e “Chat GPT”, que demonstra outra tendência deste ano. 

“A escolha da maioria pelo termo ‘mudanças climáticas’ mostra claramente a preocupação dos brasileiros sobre as consequências da degradação desenfreada do planeta. Estamos em uma fase sem precedentes na história, em que a população sente intensamente os impactos de atividades industriais e humanas no clima. O resultado indica que a população deve cobrar cada vez mais de organizações, líderes e decisores ações concretas de enfrentamento à crise climática. É a nossa sobrevivência que está em jogo.”, avalia Leandro Machado, cientista político e sócio cofundador da CAUSE.

Acompanhe tudo sobre:Mudanças climáticas

Mais de ESG

A estratégia por trás do turismo em um dos maiores aterros sanitários da América Latina

O novo plano da Dow para tornar suas fábricas à prova de falta d'água

Metade de manguezais, importantes para combater mudanças climáticas, está em risco de colapso

Rede de hotéis reverte 20 anos de perdas em Sauípe com ESG; agora, estrutura metas para expandir

Mais na Exame