• AALR3 R$ 20,29 0.74
  • AAPL34 R$ 67,40 -2.05
  • ABCB4 R$ 16,73 -0.18
  • ABEV3 R$ 14,19 0.78
  • AERI3 R$ 3,63 -6.20
  • AESB3 R$ 10,65 -2.92
  • AGRO3 R$ 31,09 0.61
  • ALPA4 R$ 20,82 0.29
  • ALSO3 R$ 19,15 -1.64
  • ALUP11 R$ 27,31 0.52
  • AMAR3 R$ 2,40 -2.83
  • AMBP3 R$ 30,55 -1.99
  • AMER3 R$ 22,85 -5.07
  • AMZO34 R$ 63,86 -2.50
  • ANIM3 R$ 5,36 -3.42
  • ARZZ3 R$ 79,90 0.49
  • ASAI3 R$ 15,91 0.25
  • AZUL4 R$ 20,78 -5.37
  • B3SA3 R$ 12,02 -0.66
  • BBAS3 R$ 37,75 -0.57
  • AALR3 R$ 20,29 0.74
  • AAPL34 R$ 67,40 -2.05
  • ABCB4 R$ 16,73 -0.18
  • ABEV3 R$ 14,19 0.78
  • AERI3 R$ 3,63 -6.20
  • AESB3 R$ 10,65 -2.92
  • AGRO3 R$ 31,09 0.61
  • ALPA4 R$ 20,82 0.29
  • ALSO3 R$ 19,15 -1.64
  • ALUP11 R$ 27,31 0.52
  • AMAR3 R$ 2,40 -2.83
  • AMBP3 R$ 30,55 -1.99
  • AMER3 R$ 22,85 -5.07
  • AMZO34 R$ 63,86 -2.50
  • ANIM3 R$ 5,36 -3.42
  • ARZZ3 R$ 79,90 0.49
  • ASAI3 R$ 15,91 0.25
  • AZUL4 R$ 20,78 -5.37
  • B3SA3 R$ 12,02 -0.66
  • BBAS3 R$ 37,75 -0.57
Abra sua conta no BTG

De fone de ouvido a geladeira: Magalu vai reciclar lixo eletrônico

Ao todo, 500 lojas físicas da rede terão pontos de coleta. Ação é parceria com a Associação Brasileira de Reciclagem de Eletrônicos e Eletrodomésticos
Empresa vai incluir pontos de coleta de eletrônicos em lojas (Exame/Leandro Fonseca)
Empresa vai incluir pontos de coleta de eletrônicos em lojas (Exame/Leandro Fonseca)
Por Karina SouzaPublicado em 07/06/2021 19:00 | Última atualização em 07/06/2021 20:10Tempo de Leitura: 3 min de leitura

O Magazine Luiza vai começar um programa de reciclagem de eletrodomésticos e eletroeletrônicos. Ao todo, 500 lojas da rede devem ter pontos de coleta até o fim do ano. Nesses pontos de coleta, será possível descartar itens eletrônicos de todos os tamanhos, como fones de ouvido, secadores de cabelo e aparelhos de TV. Atualmente, a rede tem mais de 1.300 lojas espalhadas pelo país.

A ação é fruto de uma parceria com a Associação Brasileira de Reciclagem de Eletroeletrônicos e Eletrodomésticos (ABREE), que será responsável pela coleta e pelo destino do material a dez empresas já cadastradas.

 Quer saber como a inovação pode ajudar o seu negócio? Faça o curso Inovação na prática

O descarte será feito da seguinte forma: nas estações de coleta, menores e projetadas para autonomia do consumidor, será possível descartar itens pequenos. Já para os maiores -- como geladeiras, por exemplo -- será necessário contatar um vendedor no local, que ficará responsável por encaminhar o equipamento à associação.

Modelo de ponto de descarte a ser incluído nas lojas (Magalu/Divulgação)

Inicialmente, os coletores serão instalados na Grande São Paulo, em 33 lojas. Em seguida, estão Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Paraná -- totalizando as 500 lojas até o fim de 2021.

“A gestão dos resíduos é um tema crucial para o Magalu", diz Ana Luiza Herzog, gerente corporativa de Reputação e Sustentabilidade da empresa, em comunicado. "Vamos aproveitar a capilaridade das nossas mais de 1 300 lojas físicas espalhadas pelo país e a força da nossa marca para impulsionar a conscientização para esse tema.”

A ação faz sentido em um dos países que mais produz lixo eletrônico no mundo. Segundo informações do relatório The Global E-waste Monitor 2020 da ONU, o Brasil é o líder na América Latina em produção desse tipo de resíduo, com 1,5 toneladas e apenas 3% de reciclagem desse montante.

Recentemente, outras varejistas também têm anunciado programas focados em economia de recursos naturais. A Natura e a The Body Shop já anunciaram que vão dar um produto novo a cada cinco embalagens descartadas e a Renner apostou na produção de um jeans sustentável, que tem chamado a atenção de investidores.  No Magalu, essa não é a primeira ação da empresa focada em sustentabilidade. No último ano, o Magalu anunciou a instalação de painéis solares para operar 214 lojas da rede. Na data do anúncio, a empresa divulgou que investiu mais de R$ 18 milhões nas usinas que devem fornecer energia para o novo contrato.

Os movimentos vão em linha com a demanda de investidores por empresas que promovem ações voltadas ao ESG, especialmente no cenário pós-pandemia. Segundo a Bloomberg, fundos globais que investem ou adotam estratégias relacionadas à energia limpa, mudança climáticas e ESG aumentaram seus ativos sob gestão em cerca de 32% na comparação anual, para um novo recorde, de 1,82 trilhão de dólares em 2020. Diante de tanto potencial, empresas tentam se adaptar às novas prioridades.

Veja Também

9 empresas gigantes brasileiras que resolveram apostar nas criptomoedas
Future of Money
Há 3 horas • 5 min de leitura

9 empresas gigantes brasileiras que resolveram apostar nas criptomoedas

Quem tem direito ao seguro-desemprego?
Conta em dia
Há 3 horas • 3 min de leitura

Quem tem direito ao seguro-desemprego?

INSS paga a segunda parcela do 13º salário a partir desta quarta-feira
Minhas Finanças
Há 3 horas • 2 min de leitura

INSS paga a segunda parcela do 13º salário a partir desta quarta-feira

Mega-Sena sorteia prêmio acumulado em R$ 65 milhões; veja como apostar
Minhas Finanças
Há 3 horas • 3 min de leitura

Mega-Sena sorteia prêmio acumulado em R$ 65 milhões; veja como apostar