ESG

Assaí busca fortalecer negócios locais com prêmio para pequenos empreendedores, incluindo informais

Mais de 2.100 negócios passam pelo programa, que conta com capacitações gratuitas e online em gestão e marketing e prêmios em dinheiro, vale-compras e celulares

Rede de atacarejo cria ações para capacitação de pequeno empreendedor, que ainda é 45% do seu público (Paulo Whitaker/Reuters)

Rede de atacarejo cria ações para capacitação de pequeno empreendedor, que ainda é 45% do seu público (Paulo Whitaker/Reuters)

Letícia Ozório
Letícia Ozório

Repórter de ESG

Publicado em 22 de abril de 2024 às 12h06.

Última atualização em 22 de abril de 2024 às 12h59.

O Assaí Atacadista está lançando a sétima edição do prêmio Academia Assaí, que destaca pequenos empreendedores do setor de alimentos. O objetivo é fortalecer a atuação de negócios locais ao redor do país e aprimorar a sua produção.

Voltado para comerciantes, ambulantes e micro e pequenos empreendedores, o processo conta com capacitações curtas e gratuitas em gestão financeira, marketing e vendas para todos os inscritos.

De acordo com Andréa Henriques, gerente do Instituto Assaí, a companhia notou uma falta de conhecimento em gestão de negócios por parte dos empreendedores. “A Academia atua exatamente nessa questão, em preparar cada pessoa para gerir melhor o empreendimento e continuar crescendo, o que, por consequência, traz mais renda e empregos para uma comunidade mais próspera”, conta.

Os cursos são online e em vídeo e buscam melhorar a atuação dos negócios, mesmo daqueles que não passam para as fases seguintes na premiação. Ela afirma que o ensinamento de empresas veio de uma necessidade aprofundada pela pandemia. “É um apoio ao ecossistema de empreendedores de alimentos. A pandemia causou uma vulnerabilidade muito grande nessa área, em especial aos micro e pequenos negócios, e reconhecer e capacitar esse empreendedor é parte do nosso papel”, conta.

Empresas informais também podem participar do prêmio. Segundo Henriques, atingir esses empreendedores foi um desafio a mais, já que muito não possuíam estrutura para fazer as capacitações, o que fez com que o programa fosse estruturado de forma ainda mais simples para que pudesse ser acessado pelos celulares.

Como funciona?

O prêmio leva em conta três categorias de negócio: vendas por encomendas, ponto de venda fixo e vendedores ambulantes. Em cada uma delas, 700 empresas serão selecionadas, formando os 2.100 negócios a receberem os prêmios iniciais e quatro dias de capacitação online. Cada empreendedor recebe um valor de R$ 300.

A próxima fase seleciona 210 finalistas, que recebem um valor de R$ 2 mil e um vale-compras do Assaí no valor de R$ 500. A partir de um vídeo pitch de em média um minuto, eles passam a concorrer na competição regional, criada para criar uma maior equidade em locais com menos acesso econômico.

Na etapa regional, cada área do país tem 6 vencedores — 2 em cada categoria. Os vencedores participam de uma imersão em negócios em São Paulo, com aulas sobre gestão e marketing para cada tipo de área, assim como uma assessoria individualizada para seu empreendimento. As empresas selecionadas também recebem um celular para facilitar suas vendas digitais e as campanhas nas redes sociais.

Os ganhadores regionais passam para a etapa nacional, que selecionará um vencedor de cada categoria. Os três levam R$ 15 mil. Ainda existem as categorias extras, que premiam os negócios com iniciativas exemplares de inovação, tecnologia e sustentabilidade no setor alimentício.

Pequenas empresas no centro

De acordo com Henriques, o prêmio leva em conta critérios de raça e gênero em cada uma das seleções. “A prioridade é que pessoas negras sejam 50% de cada uma das etapas e que mulheres sejam 70%, já que elas são as mais responsáveis pelos pequenos negócios, criados principalmente pela necessidade”.

Andréa explica que atender a micro e pequenas empresas é um dos focos do Assaí Atacadista que se reflete nos programas sociais da companhia.  “Mesmo com todos os nossos novos públicos, os comerciantes ainda são 45% dos clientes. Entendemos que o crescimento desses empreendedores também é o nosso crescimento”, conta.

O Prêmio Academia Assaí faz parte do Instituto Assaí, organização social da varejista que apoia projetos de alimentação e esporte, além dos em empreendedorismo. Um desses exemplos é o Afronegócio, uma aliança para favorecer empreendimentos negros. O projeto foi criado em parceria com a Pretahub, aceleradora de empresas.

O prêmio está com inscrições abertas até 15 de maio a partir deste site.

Acompanhe tudo sobre:Assaiempreendedorismo-femininoEmpreendedores

Mais de ESG

Vibra capacita motoristas e frentistas em ação contra a exploração sexual de crianças e adolescentes

Por que no dia 17 de maio é celebrado o dia mundial da reciclagem?

Dia mundial da reciclagem: Onde descartar lixo reciclável em SP?

Grupo Boticário divulga resultados ESG e atualiza compromissos

Mais na Exame