Economia

Vendas de carros nos EUA devem se recuperar em novembro

Demanda de outubro foi afetada pela passagem do furacão Sandy


	Demanda deve tomar fôlego e provocar maior aceleração nas vendas em quatro anos
 (Getty Images/ Joe Raedle)

Demanda deve tomar fôlego e provocar maior aceleração nas vendas em quatro anos (Getty Images/ Joe Raedle)

DR

Da Redação

Publicado em 29 de novembro de 2012 às 22h46.

Los Angeles - As vendas de automóveis nos Estados Unidos devem ter forte recuperação em novembro, possivelmente registrando seu maior ritmo de alta em mais de quatro anos, à medida que consumidores na região nordeste do país retornam a concessionárias após a tempestade Sandy derrubar a demanda no final de outubro.

As vendas em novembro também foram impulsionadas pela demanda acumulada por veículos, com consumidores substituindo seus carros e caminhões mais antigos, disseram analistas e executivos.

"As pessoas precisam de um carro, e vemos isso tomando fôlego rapidamente, especialmente nos últimos 10 dias", disse nesta quarta-feira Brian Carolin, vice-presidente sênior de vendas e marketing na unidade norte-americana da Nissan, no salão do automóvel de Los Angeles.

"Eu estava conversando com alguém de uma companhia de locação de veículos mais cedo", disse ele. "Eles tiveram de enviar mais carros para a região nordeste por conta da demanda. Obviamente as pessoas estão alugando veículos, elas estão esperando que suas reivindicações de seguros sejam processadas e então vão voltar ao mercado de maneira bem forte".

Montadoras devem divulgar os resultados de vendas nos EUA em novembro na segunda-feira e analistas esperam um aumento de 11 a 13 por cento, com o setor aproximando-se da conclusão de seu ano mais forte desde 2007. Vendas de automóveis são um indicador mensal da demanda do consumidor norte-americano.


Uma preocupação para a indústria é o "abismo fiscal" que enfrentam os Estados Unidos --uma combinação de cortes de gastos e aumentos de impostos a serem implementados sob os termos das leis atuais no início de 2013 que podem reduzir o déficit orçamentário federal, mas também derrubar a economia de volta a recessão.

Executivos do setor acreditam que democratas e republicanos chegarão a um acordo para evitar essa questão.

"Você pode ter que segurar sua carteira, mas acho que eles chegarão a um acordo", disse Jim Lentz, presidente da divisão de vendas da Toyota Motor nos EUA. "A ideia de não haver (acordo) não é uma realidade".

Analistas e executivos preevem uma taxa anual de vendas em novembro de 14,8 milhões a 15,3 milhões de veículos, retomando o ritmo após os fracos resultados de outubro, quando a supertempestade Sandy afetou o consumo nos últimos dias do mês.

Acompanhe tudo sobre:abismo-fiscalCelebridadesEstados Unidos (EUA)Países ricosSandy

Mais de Economia

Brasil vira maior importador de carros elétricos e híbridos da China

Petrobras: Magda Chambriard afirma que vai continuar a 'abrasileirar' preços

Cigarro vai ficar mais caro? Governo avalia elevar preço mínimo para compensar desoneração

Às vésperas de votação do Mover, inclusão ou não de taxação de compras de até US$ 50 está indefinida

Mais na Exame