Venda de genéricos tem o menor crescimento histórico

O volume de unidades de medicamentos genéricos vendido em 2012 aumentou 17% em comparação com 2011, chegando a 679,6 milhões, ante 580,8 milhões do ano anterior.


	Em valores, as vendas dos genéricos movimentaram R$ 11,1 bilhões no ano passado, um resultado 40,6% maior do que os R$ 8,7 bilhões registrados em 2011
 (Divulgação)

Em valores, as vendas dos genéricos movimentaram R$ 11,1 bilhões no ano passado, um resultado 40,6% maior do que os R$ 8,7 bilhões registrados em 2011 (Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 18 de fevereiro de 2013 às 11h50.

São Paulo - O volume de unidades de medicamentos genéricos vendido em 2012 aumentou 17% em comparação com 2011, chegando a 679,6 milhões, ante 580,8 milhões do ano anterior.

O ritmo de crescimento é o menor da história dos genéricos, desde que a categoria de medicamentos chegou ao País, em 2001, de acordo com análise da Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (PróGenéricos).

Em valores, as vendas dos genéricos movimentaram R$ 11,1 bilhões no ano passado, um resultado 40,6% maior do que os R$ 8,7 bilhões registrados em 2011. Os dados foram auditados pelo IMS Healt com base em registros de preços feitos pelos laboratórios na Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) e não consideram descontos oferecidos pela indústria ao varejo.

Para a PróGenéricos, a redução de ritmo da economia brasileira com um todo impactou o setor em 2012. De acordo com a presidente executiva da instituição, Telma Salles, o setor cresceu acima dos 30% em volume em 2010 e 2011 e perdeu ritmo no ano passado.

"Além disso, registramos menor número de patentes expiradas em 2012, um acentuado aumento nos custos de produção e fortes pressões por descontos no varejo", afirmou, em nota distribuída à imprensa.

Apesar do menor crescimento em volume de vendas, o segmento fechou o ano passado com média de 26,3% de participação de mercado em unidades, ante 24,9% em 2011. Em valores, o market share dos genéricos representou 22,4% em 2012 ante 20,5% em 2011.

Mais de Economia

Haddad fala sobre recado de Lula para reforçar diálogo com o Congresso: 'Eu só faço isso da vida'

Segurança no Brasil tem impacto no prêmio de risco, diz Campos Neto

Prates afirma que não há crise na Petrobras e que tem boa relação com Lula e Silveira

Demanda por diesel sobe 8,7% no 1º bimestre, mas deve perder força no semestre, diz EPE

Mais na Exame