Economia

Suíça é país com melhor mão-de-obra; Brasil fica em 57º

Índice de Capital Humano, elaborado pelo Fórum Econômico Mundial, mediu a capacidade dos países de transformar o potencial humano em vantagem econômica


	Fábrica da Nestlé na Suíça: país é o melhor em desenvolver o potencial econômico de sua população
 (REUTERS/Denis Balibouse)

Fábrica da Nestlé na Suíça: país é o melhor em desenvolver o potencial econômico de sua população (REUTERS/Denis Balibouse)

DR

Da Redação

Publicado em 1 de outubro de 2013 às 18h46.

São Paulo - A capacidade de traduzir capital humano em retorno econômico pode ser o fator determinante para o sucesso econômico de um país. É o que afirma a primeira edição do Relatório de Capital Humano, do Fórum Econômico Mundial, que avaliou como 122 nações transformam as competências e capacidades produtivas de seus cidadãos em vantagem econômica.

O primeiro lugar de um total de 122 países ficou com a Suíça, seguida pela Finlândia e Singapura. O Brasil aparece só na 57ª posição, atrás de outros quatro latino-americanos: Costa Rica, Chile, Panamá e Uruguai. 

Os melhores desempenhos estão em países da Europa do norte e ocidental: 8 dos 10 primeiros países do ranking estão nessa região.

Dos 10 últimos colocados, nove são países africanos. A exceção é o lanterninha Yêmen, no 122º lugar, que fica no Oriente Médio. 

O índice levou em conta 51 variáveis em quatro pilares que estimulam ou inibem o desenvolvimento de uma população ativa: educação, saúde, a qualidade da força de trabalho e emprego, e o ambiente estrutural. 

Posição País Pontuação
1 Suíça 1,455
2 Finlândia 1,406
3 Singapura 1,232
4 Holanda 1,161
5 Suécia 1,111
6 Alemanha 1,109
7 Noruega 1,104
8 Reino Unido 1,042
9 Dinamarca 1,024
10 Canadá 0,987
Acompanhe tudo sobre:Fórum Econômico MundialListasMão de obraRankings

Mais de Economia

Alckmin pede que deputados retirem taxação de importados do Mover

Como funciona o voo de 25 horas que liga São Paulo a Pequim

BNDES está discutindo com a Fazenda linha especial para reconstrução do RS, diz Barbosa

Boletim Focus: mercado consolida desancoragem de expectativas de inflação e espera juros mais altos

Mais na Exame