Setor de aviação brasileiro precisa de 510 aviões

Segundo especialistas, o crescimento do tráfego aéreo no Brasil está relacionado a estabilidade econômica que melhorou o poder aquisitivo da população

São Paulo - O setor de aviação brasileiro precisa incorporar 510 novos aviões nos próximos 20 anos para fazer frente ao aumento do tráfego aéreo, que desde 2000 cresceu 36%, segundo dados divulgados hoje pelo consórcio europeu Airbus.

O vice-presidente para a América Latina e o Caribe da Airbus, Rafael Alonso, precisou em entrevista coletiva em São Paulo que o Brasil liderará a demanda de aviões na região nos próximos anos.

Segundo especialistas, o crescimento do tráfego aéreo no Brasil está relacionado a estabilidade econômica que melhorou o poder aquisitivo da população e facilitou o acesso ao crédito de setores que anteriormente estavam fora do mercado consumidor.

Alonso afirmou que o tráfego aéreo interno no Brasil aumentou 91% nos últimos dez anos e acrescentou que nos países da América Latina "um pequeno aumento do PIB" se traduz em um grande aumento do tráfego aéreo.

O empresário destacou que o setor da aviação na América Latina não sofreu muito o impacto negativo da crise financeira internacional e lembrou que a média de passageiros na região "se manteve".

Segundo as previsões da Airbus, a taxa média de crescimento de faturamento por passageiro deve ficar nos 5,9% anual na América Latina entre 2009 e 2014.

O empresário qualificou o futuro da aviação na América Latina como "brilhante" e assegurou que tem um grande "potencial" de negócio.

Em declarações à Agência Efe, Alonso louvou a eficiência na gestão das companhias aéreas latino-americanas após os processos de privatização e assegurou que a profissionalização das companhias aéreas e a renovação das frotas de aviões são dois elementos-chave de seu êxito.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.