Acompanhe:

Selic: governo pressionará por corte de pelo menos 0,5 pp em agosto após BC abrir porta para queda

Cobranças partirão de ministros da equipe econômica, do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do vice, Geraldo Alckmin

Modo escuro

Continua após a publicidade
Governo já se articula para cobrar uma queda significativa da Selic em agosto (Ricardo Stuckert/PR/Flickr)

Governo já se articula para cobrar uma queda significativa da Selic em agosto (Ricardo Stuckert/PR/Flickr)

O governo já definiu o que deseja do Banco Central (BC) em agosto: um corte de juros de pelo menos 0,5 ponto percentual, para 13,25% ao ano, confidenciaram à Exame integrantes do Executivo. E a pressão para que isso ocorra partirá de ministros da equipe econômica, do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do vice, Geraldo Alckmin.

A avaliação do governo é a de que uma queda menor da taxa, atualmente em 13,75%, passará uma mensagem ruim, não terá potencial para aquecer a economia e atrair mais investimentos para o país.

Os sucessivos apelos públicos de grandes empresários, como Luiza Helena Trajano, do Magazine Luiza, e do presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Josué Gomes, são combustível para que o governo eleve a temperatura para pressionar o BC.

“Há um consenso, inclusive a partir de conversas com empresários, sobretudo varejista, que é inadmissível permanecer no patamar atual. O financiamento de veículos e a venda de imóveis depende de juros mais baixos”, disse um assessor de Lula.

Mudança da meta de inflação

Outro fator que pode favorecer a queda de juros é a possível mudança da regra que define o regime de metas para a inflação. Atualmente, o BC persegue objetivos anuais definidos pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). A tendência é que na próxima reunião, marcada para 28 de junho, o colegiado acabe com as metas anuais e torne as metas constantes ou para dois anos.

Na prática, o BC terá um prazo maior para fazer a convergência da inflação para as metas. Com isso, a dose do remédio amargo (alta de juros) tende a ser menor para levar o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para a meta.

Por fim, em agosto, Gabriel Galípolo e Ailton de Aquino Santos, indicados pelo governo Lula para as diretorias de Política Monetária e de Fiscalização do BC respectivamente, também devem ter tomado posse após sabatina pelo Senado, marcada para 27 de junho. Com isso, serão vozes ativas do governo no Copom.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Aumenta a confiança da indústria, diz pesquisa da FGV
Economia

Aumenta a confiança da indústria, diz pesquisa da FGV

Há 13 horas

IFI reduz estimativa para dívida bruta em 2024, de 78,8% para 77 7% do PIB
Economia

IFI reduz estimativa para dívida bruta em 2024, de 78,8% para 77 7% do PIB

Há um dia

Blinken diz que Argentina 'pode contar' com EUA para estabilizar sua economia
Economia

Blinken diz que Argentina 'pode contar' com EUA para estabilizar sua economia

Há um dia

Governo prorroga inscrições de programa para participação de mulheres no comércio exterior
Economia

Governo prorroga inscrições de programa para participação de mulheres no comércio exterior

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais