Puxado pelo Brasil, desemprego na América Latina sobe a 8,1%

Segundo a OIT, níveis "não foram registrados nem mesmo durante a crise financeira internacional 2008-2009"

O desemprego na América Latina e no Caribe subiu a 8,1% em 2016, seu nível mais alto desde a última crise financeira internacional, que caminha de mãos dadas com o desempenho econômico negativo na região, principalmente no Brasil, informou nesta quarta-feira a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

"A taxa de desocupação regional voltou a aumentar, desta vez de forma abrupta, ao passar de 6,6% em 2015 a 8,1% (estimativa preliminar) em 2016. Ou seja, aumentou 1,5 ponto percentual", disse a OIT em seu "Panorama Laboral 2016" apresentado em Lima.

"Estes são níveis que não foram registrados nem mesmo durante a crise financeira internacional 2008-2009", acrescentou.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.