Acompanhe:

PIB Agropecuário beneficia serviços hidroviários, diz economista

Nos últimos 12 meses encerrados em janeiro, essa modalidade de transporte de mercadorias e de passageiros por barcos, navios ou balsas cresceu 18,7%

Modo escuro

Continua após a publicidade
Agropecuária: o transporte aquaviário cresce muito puxado pelo escoamento da produção de grãos (Divulgação/Exame)

Agropecuária: o transporte aquaviário cresce muito puxado pelo escoamento da produção de grãos (Divulgação/Exame)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 16 de março de 2018 às, 15h44.

São Paulo - O crescimento de 13% do PIB agropecuário em 2017 extrapola, como fator multiplicador, os termos da agricultura e da pecuária. Um dos segmentos beneficiados com a expansão do setor foi o de serviços aquaviários, ou hidroviários.

Nos últimos 12 meses encerrados em janeiro, essa modalidade de transporte de mercadorias e de passageiros por barcos, navios ou balsas cresceu 18,7%, segundo informou nesta sexta-feira, 16 o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para o economista da RC Consultores Marcel Caparoz, o transporte aquaviário cresce muito puxado pelo escoamento da produção de grãos, especialmente na Região Centro-oeste.

"Isso aconteceu principalmente em Mato Grosso, na região do Arco Norte", diz o economista. Nesta região, segundo o Ministério da Agricultura, os portos estão cada vez mais ganhando importância no escoamento de soja. Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, só em Mato Grosso os serviços aquaviários cresceram 17,5% entre fevereiro de 2017 e janeiro deste ano.

"Isso é agronegócio, principalmente nesse processo de escoamento dos grãos voltados à exportação. É o setor agropecuário que cresce no País como vimos no PIB do ano passado e se reproduz na pesquisa de serviços", disse Caparoz.

A Região do Arco Norte, segundo o economista da RC Consultores, vem ganhando importância no transporte de milho e soja em relação aos portos do Sul e Sudeste do País, com as barcaças subindo e descendo pelos rios Tapajós e Madeira até Barcarena e Santarém, no Pará.

De acordo com Caparoz, Mato Grosso exportou 16,2 milhões de toneladas de soja nos últimos 12 meses. "Metade deste volume foi exportada pelo Porto de Santos. Os outros 8 milhões de toneladas foram exportados lá por cima, por Barcarena, Santarém, região e Manaus. Esse transporte está subindo por barcaças até Barcarena e Santarém, perto de Belém. Ali é feito o transbordo para navios que saem para cruzar o canal do Panamá rumo à China", afirmou.

Também puxado pelo escoamento da safra de grãos, os serviços aquaviários cresceram 4,9% no Paraná nos últimos 12 meses encerrados em janeiro. Naquele Estado, o crescimento se deu via exportações a partir do Porto de Paranaguá, segundo o economista da RC Consultores. "É um bom crescimento também", diz Caparoz. Em2017, o PIB agregado cresceu 1% em relação ao ano anterior. O PIB Agropecuário avançou 13%, o industrial fechou zerado e o de serviços mostrou ligeira expansão de 0,3%.

Últimas Notícias

Ver mais
Por que o PIB do Brasil cresceu 2,9% em 2023? Entenda em 4 pontos
Economia

Por que o PIB do Brasil cresceu 2,9% em 2023? Entenda em 4 pontos

Há 2 dias

Boa notícia do quarto trimestre foi que investimento teve ligeira melhora, diz Haddad
Economia

Boa notícia do quarto trimestre foi que investimento teve ligeira melhora, diz Haddad

Há 2 dias

Taxa de investimento de 16,5% em 2023 é a menor desde 2019, revela IBGE
Economia

Taxa de investimento de 16,5% em 2023 é a menor desde 2019, revela IBGE

Há 2 dias

Brasil sobe duas posições e fecha 2023 como a 9ª economia do mundo; veja lista completa
Economia

Brasil sobe duas posições e fecha 2023 como a 9ª economia do mundo; veja lista completa

Há 2 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais