Economia

Pessimismo do consumidor volta a subir em setembro, diz CNI

O indicador recuou 2,6% no mês passado na comparação com o mês anterior. Em relação a setembro de 2014, o resultado é 12,2% pior


	Pessimismo do consumidor: o indicador recuou 2,6% no mês passado na comparação com o mês anterior. Em relação a setembro de 2014, o resultado é 12,2% pior
 (FreeImage)

Pessimismo do consumidor: o indicador recuou 2,6% no mês passado na comparação com o mês anterior. Em relação a setembro de 2014, o resultado é 12,2% pior (FreeImage)

DR

Da Redação

Publicado em 2 de outubro de 2015 às 12h14.

Brasília - Depois de dois meses de ligeira recuperação de confiança, o pessimismo dos consumidores brasileiros voltou a aumentar em setembro, de acordo com o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec) divulgado nesta sexta-feira, 2, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Revertendo as melhoras registradas em julho e agosto, o indicador recuou 2,6% no mês passado na comparação com o mês anterior. Em relação a setembro de 2014, o resultado é 12,2% pior.

A pesquisa mostra que todas as variáveis do Inec registraram queda, tanto na comparação com agosto deste ano como em relação a setembro de 2014.

A maior piora mensal ocorreu nas expectativas do consumidor quanto à sua renda pessoal, com recuo de 6,4%. Ante o mesmo mês do ano passado, esse quesito acumula uma queda de 21,4%. Esse indicador está no menor nível de sua série histórica.

Os consumidores também ficaram mais pessimistas com relação à situação financeira, com queda de 3,7% em relação a agosto e de 23,1% ante setembro de 2014. A avaliação sobre a inflação também piorou 2,8% no mês, com 4,1% de piora na comparação anual.

O Inec também registrou deterioração nas perspectivas sobre o desemprego, com piora de 2,1% no mês e de 12,5% em relação ao mesmo mês de 2014.

O índice de endividamento recuou 1,8% em setembro e também chegou ao menor nível da série histórica, estando 12,4% abaixo do verificado há um ano atrás.

Nesse cenário, as expectativas de compras de bens de maior valor caiu 0,3% ante agosto, acumulando piora de 1,7% com relação a setembro do ano passado. A CNI entrevistou 2.002 pessoas em 142 municípios entre os dias 18 e 21 do mês passado.

Acompanhe tudo sobre:CNI – Confederação Nacional da IndústriaConsumidoresCrise econômica

Mais de Economia

Inflação ao consumidor na China continua em alta

Petrobras prevê perfurar novos poços do pré-sal em 2025 para garantir futuro da bacia de Campos

Senado estuda usar atualização do IR e repatriação para compensar desoneração

‘Temos absoluta confiança que o dólar vai cair’, diz Geraldo Alckmin

Mais na Exame