Acompanhe:

ONU pede ação rápida e coordenada contra crises alimentares

A organização quer impedir a repetição da crise alimentar de 2007/2008, causada por uma disparada dos preços

Modo escuro

Continua após a publicidade

	José Graziano Silva, diretor da FAO: é necessário atuar sem perda de tempo para evitar que o impacto dos preços leve a uma catástrofe que afete dezenas de milhões de pessoas
 (Juan Mabromata/AFP)

José Graziano Silva, diretor da FAO: é necessário atuar sem perda de tempo para evitar que o impacto dos preços leve a uma catástrofe que afete dezenas de milhões de pessoas (Juan Mabromata/AFP)

D
Da Redação

Publicado em 4 de setembro de 2012 às, 10h05.

Roma - As três agências da ONU responsáveis pelas questões alimentares fizeram nesta terça-feira em Roma um apelo em favor de uma "ação rápida e coordenada em escala internacional" para impedir a repetição da crise alimentar de 2007/2008, causada por uma disparada dos preços.

Em um comunicado conjunto, José Graziano da Silva, diretor geral da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura), Kanayo F. Nwanze, presidente da FIDA (Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola) e Ertharin Cousin, diretora do Programa Mundial de Alimentos (PMA), pedem que "as causas profundas da alta dos preços dos alimentos sejam enfrentadas".

"A situação que reina nos mercados dos alimentos, caracterizada por uma forte alta das cotações de milho, do trigo e da soja, desperta o temor de que se reproduza a crise alimentar de 2007-2008", afirmam.

"Mas uma intervenção rápida e coordenada em escala internacional pode impedir a repetição", explicam os três.

"É necessário atuar sem perda de tempo para evitar que o impacto dos preços leve a uma catástrofe que afete dezenas de milhões de pessoas nos próximos meses", advertem.

Segundo a FAO, o PMA e o FIDA, "os elevados preços dos alimentos são um sintoma, e não a doença. Por isto, a comunidade internacional deve adotar medidas preventivas para impedir as altas excessivas, atuando nas causas profundas que originam estas fortes altas dos preços", concluem.

Últimas Notícias

Ver mais
Crise no Haiti: ONU diz que quase 100 mil pessoas fugiram de Porto Príncipe por violência de gangues
Mundo

Crise no Haiti: ONU diz que quase 100 mil pessoas fugiram de Porto Príncipe por violência de gangues

Há um dia

Oceanos mais quentes levantam dúvida: subestimamos as mudanças climáticas?
ESG

Oceanos mais quentes levantam dúvida: subestimamos as mudanças climáticas?

Há um dia

Mars quer garantir o chocolate de quem nasceu em 2020 — e a ração dos pets
ESG

Mars quer garantir o chocolate de quem nasceu em 2020 — e a ração dos pets

Há um dia

Exportações do agronegócio alcançam recorde de US$ 37,44 bilhões no 1º trimestre
EXAME Agro

Exportações do agronegócio alcançam recorde de US$ 37,44 bilhões no 1º trimestre

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais