Acompanhe:

Mercado reduz estimativas para PIB, Selic e inflação em 2020

Para o produto interno bruto (PIB), a estimativa de crescimento em 2020 foi reduzida em 0,31 ponto percentual, para 1,68%

Modo escuro

Continua após a publicidade
Brasil: para a inflação, a alta do IPCA passou a ser calculada em 3,10% e 3,65% respectivamente neste ano (Henrique Westin/Getty Images)

Brasil: para a inflação, a alta do IPCA passou a ser calculada em 3,10% e 3,65% respectivamente neste ano (Henrique Westin/Getty Images)

R
Reuters

Publicado em 16 de março de 2020 às, 09h08.

Última atualização em 16 de março de 2020 às, 23h34.

São Paulo — O mercado reduziu suas expectativas para a taxa básica de juro, a inflação e o crescimento do país, mas passou a ver o dólar mais alto neste ano, de acordo com a pesquisa Focus divulgada pelo Banco Central nesta segunda-feira.

O levantamento semanal apontou que a previsão é de corte de 0,25 ponto percentual na Selic na reunião do Copom de quarta-feira, levando a taxa dos atuais 4,25% para 4,00%. Além disso os economistas passaram a ver a Selic em 3,75% no final deste ano, e não mais os 4,25% de antes. Para 2020 a projeção caiu para 5,25% — antes era de 5,50%.

O Top-5, grupo dos que mais acertam as previsões, passou a ver a Selic em 3,38% na mediana das estimativas deste ano, de 3,50%, enquanto que para 2020 o cenário permaneceu em 5%.

Para o Produto Interno Bruto (PIB), a estimativa de crescimento em 2020 foi reduzida em 0,31 ponto percentual, para 1,68%. Para o ano que vem, continua sendo esperada uma expansão de 2,50%.

Para a inflação, a alta do IPCA passou a ser calculada em 3,10% e 3,65%, respectivamente, neste ano e no próximo, de 3,20% e 3,75% na semana anterior.

O centro da meta oficial de 2020 é de 4% e, de 2021, de 3,75%, com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

Por outro lado, com o dólar batendo sucessivos recordes em relação ao real, a moeda passou a ser calculada em 4,35 reais em 2020, antes estava em 4,20 reais. Para o final de 2021, o dólar ainda é estimado em 4,20 reais.

Últimas Notícias

Ver mais
Cresce risco de inflação em 2025 superar a de 2024, por causa de serviços caros e incerteza fiscal
Economia

Cresce risco de inflação em 2025 superar a de 2024, por causa de serviços caros e incerteza fiscal

Há 12 horas

Técnicos da Câmara preveem déficit zero das contas públicas apenas em 2028
Economia

Técnicos da Câmara preveem déficit zero das contas públicas apenas em 2028

Há 3 dias

FMI piora projeção fiscal para o Brasil este ano
Economia

FMI piora projeção fiscal para o Brasil este ano

Há 3 dias

FMI reconhecer estabilidade da dívida em patamar menor é significativo, diz Haddad
Economia

FMI reconhecer estabilidade da dívida em patamar menor é significativo, diz Haddad

Há 4 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais