Acompanhe:

Mercado estima queda de 3,34% do PIB brasileiro em 2020 com coronavírus

Segundo o Boletim Focus, os economistas esperam que a taxa Selic termine o ano em 2,5%

Modo escuro

Continua após a publicidade
Boletim Focus: para a alta do IPCA, a projeção é de 2,20% este ano (Ingo Roesler/Getty Images)

Boletim Focus: para a alta do IPCA, a projeção é de 2,20% este ano (Ingo Roesler/Getty Images)

D
Da Redação com Reuters e Estadão Conteúdo

Publicado em 27 de abril de 2020 às, 09h15.

Última atualização em 27 de abril de 2020 às, 11h55.

O cenário para a economia brasileira este ano continuou em queda livre na pesquisa Focus do Banco Central, como consequência das paralisações e isolamentos devido à pandemia de coronavírus em todo o mundo.

O levantamento divulgado nesta segunda-feira mostra que a expectativa agora é de uma contração de 3,34% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano, contra queda de 2,96% prevista antes. Para 2021, a estimativa de crescimento caiu 0,10 ponto percentual, a 3%.

Em meio ao fechamento de fábricas e comércio, a produção industrial deve contrair este ano 2,35% na visão dos economistas consultados, contra recuo de 2,25% previsto antes. Em 2021 o setor deve se recuperar com uma alta de 2,90% na produção.

O levantamento semanal apontou ainda que a taxa básica de juros deve terminar o ano a 3%, sem alteração. Mas para 2021 a conta para a Selic caiu a 4,25%, de 4,5%.O Top-5, grupo dos que mais acertam as previsões, reduziu as expectativas de Selic a 2,5% em 2020 e 3,88% em 2021 na mediana das projeções.

Para a alta do IPCA, o levantamento semanal mostra agora projeção de 2,20% este ano e 3,40% no próximo, contra 2,23% e 3,40% antes, respectivamente.

O centro da meta oficial de 2020 é de 4 por cento e, de 2021, de 3,75 por cento, ambos com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

Déficit primário

O Relatório de Mercado Focus trouxe nova mudança na projeção para o resultado primário do governo em 2020. A relação entre o déficit primário e o PIB este ano foi de 5,00% para 6,20%. No caso de 2021, foi de 1,50% para 1,60%. Há um mês, os porcentuais estavam em 1,30% e 0,60%, respectivamente.

Já a relação entre déficit nominal e PIB em 2020 foi de 10,00% para 11,10%, conforme as projeções dos economistas do mercado financeiro. Para 2021, foi de 5,20% para 5,40%. Há quatro semanas, estas relações estavam em 6,00% e 4,86%, nesta ordem.

O resultado primário reflete o saldo entre receitas e despesas do governo, antes do pagamento dos juros da dívida pública. Já o resultado nominal reflete o saldo já após as despesas com juros.

Os avanços nas projeções refletem a expectativa de que, com o aumento das despesas do governo durante a pandemia do novo coronavírus, o País terá um cenário fiscal ainda mais difícil.

Balança comercial

Os economistas do mercado financeiro alteraram a projeção para a balança comercial em 2020 na pesquisa Focus, de superávit comercial de US$ 36,10 bilhões para US$ 37,65 bilhões. Um mês atrás, a previsão era de US$ 35,00 bilhões. Para 2021, a estimativa de superávit foi de US$ 35,60 bilhões para US$ 35,50 bilhões. Há um mês, estava em US$ 35,30 bilhões.

Na estimativa mais recente do BC, o saldo positivo de 2020 ficará em US$ 33,5 bilhões. Esta projeção foi atualizada no Relatório Trimestral de Inflação divulgado em março.

No caso da conta corrente, a previsão contida no Focus para 2020 foi de déficit de US$ 40,80 bilhões para US$ 39,60 bilhões, ante US$ 55,80 bilhões de um mês antes. Para 2021, a projeção de rombo foi de US$ 45,20 bilhões para US$ 44,85 bilhões. Um mês atrás, o rombo projetado era de US$ 58,50 bilhões.O BC projeta déficit em conta de US$ 41,0 bilhões em 2020.

Para os analistas consultados semanalmente pelo BC, o ingresso de Investimento Direto no País (IDP) será suficiente para cobrir o resultado deficitário nestes anos. A mediana das previsões para o IDP em 2020 foi de US$ 71,00 bilhões para US$ 72,00 bilhões. Há um mês, estava em US$ 80,00 bilhões. Para 2021, a expectativa seguiu em US$ 80,0 bilhões, ante US$ 81,40 bilhões de um mês antes.

Últimas Notícias

Ver mais
China protesta após UE punir empresas chinesas em sanções contra a Rússia
Economia

China protesta após UE punir empresas chinesas em sanções contra a Rússia

Há 3 horas

Haddad é diagnosticado com covid-19 e presidirá reuniões do G20 de forma virtual
Economia

Haddad é diagnosticado com covid-19 e presidirá reuniões do G20 de forma virtual

Há 5 horas

Brasil e outros 121 países fecham acordo para aumentar investimentos estrangeiros
Economia

Brasil e outros 121 países fecham acordo para aumentar investimentos estrangeiros

Há 18 horas

Ministros de Finanças do G20 se reúnem em São Paulo nesta semana
Economia

Ministros de Finanças do G20 se reúnem em São Paulo nesta semana

Há 20 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais