Economia

Lira diz que setores vitais terão tratamento diferenciado na reforma tributária

Parlamentar também disse que é preciso uma reforma que dê segurança jurídica a quem paga imposto

Lira: presidente da Câmara dos Deputados fala durante evento sobre reforma tributária (Lula Marques/Agência Brasil)

Lira: presidente da Câmara dos Deputados fala durante evento sobre reforma tributária (Lula Marques/Agência Brasil)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 27 de abril de 2024 às 15h04.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), disse que a regulamentação da reforma tributária não deve ter um relator único e que preservará o tratamento diferenciado de setores que são vitais para o país. As declarações foram dadas na solenidade de abertura da 89º edição da ExpoZebu.

"Não vamos fazer relatores únicos (para reforma tributária). Faremos grupos de trabalho com deputados que não tenham interesse nas áreas que serão tratadas para que a gente faça um enxugamento, se Deus quiser, nos cerca de 400 artigos. Precisamos ter uma reforma que dê segurança jurídica a quem paga imposto, mas setores vitais precisam e vão ter tratamento diferenciado", disse.

Ao se dirigir aos presentes no evento - além de representantes do agro, havia políticos - Lira fez uma analogia para dimensionar as dificuldades de atender a todos os pedidos por mudanças. "Eu só reforço a tese de que dentro de uma kombi não cabem passageiros de um ônibus ou um trem. Dentro de uma kombi só cabem os passageiros de uma kombi. Vamos discutir tudo com muita transparência, afirmou.

O governo entregou na quarta-feira, 24, o projeto que é a espinha dorsal da regulamentação da reforma tributária. O texto traz a regulamentação da Contribuição sobre bens e serviços (CBS que ficará com a União), do Imposto sobre Bens e Serviços (IBS, a ser repartido entre Estados e municípios), o Imposto Seletivo (IS, um tipo de imposto do pecado que incide sobre produtos que fazem mal à saúde e ao meio ambiente), e disposições sobre a Zona Franca de Manaus, áreas livres de comércio e outros.

Acompanhe tudo sobre:Arthur LiraReforma tributária

Mais de Economia

STF retoma hoje julgamento de ações que questionam pontos da Reforma da Previdência de 2019

Exclusivo: Sky fecha parceria com Amazon para vender internet por satélite no Brasil

STF decide que Receita não pode cobrar tributação do terço de férias antes de agosto de 2020

Mais na Exame