Economia

Leilão de 5G, previsto para março de 2020, pode atrasar, diz Telefônica

O presidente executivo da tele reiterou que a operadora vai entrar no leilão e está participando de consulta pública da Anate sobre o certame

5G: Telefônica avalia que leilão de frequências para a tecnologia 5G deve atrasar (Angel Navarrete/Bloomberg)

5G: Telefônica avalia que leilão de frequências para a tecnologia 5G deve atrasar (Angel Navarrete/Bloomberg)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 24 de julho de 2019 às 12h28.

São Paulo — Previsto para acontecer em março do ano que vem, o leilão de frequências para a tecnologia 5G pode ter atrasos, segundo o presidente executivo da Telefônica Brasil, Christian Gebara. Ele reiterou que a operadora vai entrar no leilão e está participando de consulta pública da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) sobre o certame.

O Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, já havia informado no início da semana que o leilão deve movimentar cerca R$ 20 bilhões, dos quais metade deve ir para o caixa do governo. Para Gebara, mais importante do que o valor levantado, o leilão deveria ter um caráter de ampliação de cobertura. "Precisa criar mais infraestrutura", disse.

Acompanhe tudo sobre:5GLeilõesTelecomunicaçõesTelefônica

Mais de Economia

Em novo atrito com Congresso, governo pede ao STF que declare inconstitucional desoneração da folha

Após veto do governo, cobrança de imposto em apostas pode variar de 1,3% a 283% no ano, diz estudo

Para Galípolo, mesmo com reprecificação, País pode se mostrar polo de atração de investimentos

Free Flow é um caminho sem volta, diz CEO da CCR Rodovias sobre novo tipo de pedágio

Mais na Exame