Economia

Inflação em Porto Alegre é a maior do Brasil, com alta de 0,87%

O resultado é explicado pelas enchentes que afetaram todo o estado do Rio Grande do Sul

André Martins
André Martins

Repórter de Brasil e Economia

Publicado em 11 de junho de 2024 às 10h00.

Última atualização em 11 de junho de 2024 às 10h02.

Tudo sobrefundos-de-inflacao
Saiba mais

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), indicador que é a inflação oficial do país, de maio foi de 0,87% em Porto Alegre. Os dados foram divulgados nesta terça-feira, 11, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado é a maior variação da inflação entre as capitais do Brasil no últimos mês, e é explicado pelas enchentes que afetaram todo o estado do Rio Grande do Sul.

Entre as principais altas na cidade estão a batata-inglesa, que avançou 23,94%, o botijão de gás, com alta de 7,39%, e a gasolina, que aumentou 1,80%.

Os outras capitais que mais tiveram aumento nos preços foram São Luíz e Belo Horizonte, com avanço de 0,63%.

Dos 16 locais pesquisados, apenas Goiânia, com deflação de 0,06%. Esse resultado foi relacionado ao recuo de preços da gasolina (-3,61%) e do etanol (-6,57%) no município.

O dado também ficou acima do indicador nacional, que acelerou para 0,46% em maio. O dado veio acima da expectativa do mercado, que esperava alta de 0,42% no mês e avanço de 3,88% no acumulado dos últimos 12 meses.

Quem calcula o IPCA?

cálculo do IPCA envolve várias etapas e considerações importantes. Vamos entender como isso é feito:

1. Amostra de produtos e serviços

O IPCA é calculado com base em uma amostra de produtos e serviços que representam os gastos das famílias brasileiras. Essa amostra é composta por cerca de 400 itens, que incluem alimentos, bebidas, habitação, transporte, saúde, educação, entre outros. A seleção dos itens é feita com base em pesquisas de orçamento familiar e em dados de consumo das famílias.

2. Pesquisa de preços

Para calcular o IPCA acumulado, o IBGE realiza uma pesquisa de preços em estabelecimentos comerciais de todo o país. Essa pesquisa é realizada mensalmente e envolve cerca de 30 mil estabelecimentos, incluindo supermercados, lojas de departamento, postos de combustível, entre outros. Os preços dos produtos e serviços são coletados e comparados com os preços do mês anterior.

3. Ponderação dos itens

Os itens da amostra do IPCA são ponderados de acordo com a sua participação nos gastos das famílias brasileiras. Itens que representam uma parcela maior dos gastos têm um peso maior no cálculo do IPCA. Essa ponderação é feita com base em dados de orçamento familiar e em pesquisas de consumo.

4. Cálculo do índice

O IPCA é calculado a partir da variação dos preços dos produtos e serviços da amostra. Essa variação é medida em relação ao mês anterior e é ponderada de acordo com a participação de cada item nos gastos das famílias. O resultado é um índice que reflete a variação média.

Acompanhe tudo sobre:InflaçãoIPCA

Mais de Economia

IPCA de maio acelera e sobe 0,46%; inflação acumulada de 12 meses fica em 3,93%

Vazamento de dados expõe informações cadastrais de quase 20 mil chaves Pix

Empresas afetadas pela tragédia no RS podem solicitar crédito em linha do BNDES nesta terça

Relator da LDO de 2025 procura ministros e diz que apresentará parecer preliminar nesta quarta

Mais na Exame