Economia

Inflação dos EUA sobe 0,1% em maio e CPI anual desacelera a 4%

O resultado anual é o menor desde março de 2021, quando a inflação estava apenas começando a subir para o que se tornaria o maior nível em 41 anos

Inflação dos EUA: Os dados ficaram em linha com a mediana de analistas do mercado financeiro (Brendan Mcdermid/Reuters)

Inflação dos EUA: Os dados ficaram em linha com a mediana de analistas do mercado financeiro (Brendan Mcdermid/Reuters)

André Martins
André Martins

Repórter de Brasil e Economia

Publicado em 13 de junho de 2023 às 09h39.

Última atualização em 13 de junho de 2023 às 10h00.

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos Estados Unidos subiu 0,1% em maio, segundo dados com ajustes sazonais publicados nesta terça-feira, 13, pelo Departamento do Trabalho. O CPI de maio aponta que a inflação no país perdeu força depois de uma alta de 0,4% em abril. A taxa anual caiu de 4,9% para 4%.

O resultado anual é o menor desde março de 2021, quando a inflação começou a subir para o que se tornaria o maior nível em 41 anos. Os dados ficaram em linha com a mediana de analistas do mercado financeiro.

O núcleo do CPI, que exclui os voláteis preços de alimentos e energia, também avançou 0,4% na comparação mensal, em linha com a projeção. Em relação ao ano anterior, o núcleo subiu 5,3%, o que indica que,  embora os preços tenham diminuído, os consumidores ainda estão sob pressão. 

Por que a inflação dos EUA caiu?

A queda de 3,6% no preço da energia ajudou a queda do CPI em relação ao mês anterior. Os preços dos alimentos em terras americanas subiram apenas 0,2%.

Os preços dos abrigos teve um aumento de 0,6% e foi o item que mais contribuiu para a leve alta de 0,1%. Os custos de habitação representam cerca de um terço do índice da inflação americana. Os preços dos veículos usados também ​​subiram 4,4%, enquanto os serviços de transporte subiram 0,8%.

Expectativa para o fim do ciclo de aperto monetário do Fed

Como o resultado está dentro da expectativa, o mercado espera que o Fed interrompa na quarta-feira, 14, o ciclo de aperto monetário e deixe a taxa de juros em uma faixa de 5% a 5,25% ao ano. Essa seria a primeira pausa de aumento dos juros americano em mais de um ano.

Acompanhe tudo sobre:InflaçãoEstados Unidos (EUA)

Mais de Economia

Cigarro vai ficar mais caro? Governo avalia elevar preço mínimo para compensar desoneração

Às vésperas de votação do Mover, inclusão ou não de taxação de compras de até US$ 50 está indefinida

Brasil tem potencial para receber US$ 3 trilhões em investimentos verdes, diz estudo do BCG

Conselho do INSS discute corte de juros do consignado para 1,66% ao mês

Mais na Exame