Economia

Indústria avança 1,1% em março, depois de dois meses de queda

Setor de derivados do petróleo avançou 1,7% e puxou resultado no mês

O resultado positivo veio após dois meses de queda, período em que acumulou retração de 0,5% (Leandro Fonseca/Exame)

O resultado positivo veio após dois meses de queda, período em que acumulou retração de 0,5% (Leandro Fonseca/Exame)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 10 de maio de 2023 às 09h45.

Última atualização em 10 de maio de 2023 às 09h46.

A produção industrial brasileira cresceu 1,1% em março, puxado por um avanço na produção do setor de derivados do petróleo. O resultado positivo veio após dois meses de queda, período em que acumulou retração de 0,5%. É o maior crescimento desde outubro do ano passado, quando avançou 1,3%. Ainda assim, o setor não elimina as perdas do passado recente.

A indústria nacional está 1,3% abaixo do patamar pré-pandemia, registrado em fevereiro de 2020, e 17,9% abaixo do nível recorde da série, alcançado em maio de 2011.

Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal, divulgada nesta terça-feira pelo IBGE.

O setor industrial registra uma melhora em seu desempenho, principalmente considerando o crescimento de magnitude mais elevada. Mas ainda está longe de ter um dinamismo capaz de eliminar as perdas recentes, explica o gerente da pesquisa, André Macedo.

— Ainda permanecem no nosso escopo de análise as questões conjunturais, como a taxa de juros em patamares mais elevados, que dificultam o acesso ao crédito, a taxa alta de inadimplência e o maior nível de endividamento por parte das famílias, assim como o grande número de pessoas fora mercado de trabalho e a alta informalidade.

Derivados de petróleo puxam alta

Segundo a pesquisa, 16 das 25 atividades investigadas registraram alta em março. O destaque foram os produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (1,7%), com aumento na produção de gasolina e óleo diesel. Este setor, contudo, vem de uma base de comparação mais baixa já que registrou queda em janeiro e dezembro.

A produção de máquinas e equipamentos (5,1%) e equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (6,7%) foram outros dois destaques da indústria em março. No caso do setor de máquinas e equipamentos, o resultado positivo reverteu a perda de 0,7% registrada em fevereiro.

Segundo Macedo, houve um aumento tanto na produção de máquinas e equipamentos que ficam dentro da indústria, relacionados com a ampliação ou modernização do parque industrial, como um avanço na fabricação de máquinas e equipamentos voltados para o setor agrícola e o setor de construção.

Acompanhe tudo sobre:Indústriaeconomia-brasileiraCrescimento econômico

Mais de Economia

Os bastidores do evento que reuniu lideranças em NY para debater os caminhos do Brasil

China promete manter fortalecimento da cooperação bilateral com o Irã, em reunião de ministros

Ativos do Sicoob crescem 25% e encerram 2023 em R$ 298,4 bilhões

BNDES anuncia crédito de R$ 500 mi a fornecedores de materiais e equipamentos para SUS

Mais na Exame