Acompanhe:

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgará nesta terça-feira, 28, o resultado do Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) de novembro. O consenso de mercado aponta para uma alta de 0,38% no mês. Em outubro, o resultado foi de 0,21%.

Em relatório enviado aos clientes, o Rabobank estimou que o IPCA-15 de outubro deve registrar alta de 0,31%. Com isso, a taxa acumulada em 12 meses reduziria de 5,05% para 4,82%.

Alívio na inflação

Como mostrou a EXAME, o governo reduziu de 4,85% para 4,66% a projeção de inflação para 2023, levemente acima das estimativas de mercado. Entre os analistas ouvidos pela BC, a mediana das expectativas está em 4,55%. Para 2024, a expectativa para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) teve pequena alta de 3,40% para 3,55%, ainda abaixo da expectativa dos economistas. No Boletim Focus a estimativa está em 3,91%.

"A revisão para cima em 0,15 ponto percentaul reflete ajustes pontuais no cenário de inflação, decorrentes de mudanças marginais nas projeções para o câmbio e para os preços de commodities. Também incorpora os reajustes do ICMS sobre gasolina, diesel e GLP, anunciados pelos estados para entrar em vigor a partir de fevereiro do próximo ano, e impactos esperados do El Niño sobre os preços de alimentos, energia e combustíveis. A materialização de El Niño de grande intensidade e de rupturas nas cadeias de fornecimento global em repercussão ao acirramento de conflitos geopolíticos são riscos altistas para esse cenário, parcialmente compensados pela perspectiva de desaceleração do crescimento global", informou a SPE.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Brasil e outros 121 países fecham acordo para aumentar investimentos estrangeiros
Economia

Brasil e outros 121 países fecham acordo para aumentar investimentos estrangeiros

Há 15 horas

Ministros de Finanças do G20 se reúnem em São Paulo nesta semana
Economia

Ministros de Finanças do G20 se reúnem em São Paulo nesta semana

Há 17 horas

Aumenta a confiança da indústria, diz pesquisa da FGV
Economia

Aumenta a confiança da indústria, diz pesquisa da FGV

Há 2 dias

IFI reduz estimativa para dívida bruta em 2024, de 78,8% para 77 7% do PIB
Economia

IFI reduz estimativa para dívida bruta em 2024, de 78,8% para 77 7% do PIB

Há 2 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais