Acompanhe:

Governo propõe pagamento de R$ 32,09 por hora trabalhada para motoristas de apps

Pela proposta, trabalhador terá remuneração de, ao menos, um salário-mínimo (R$ 1.412) e contribuição de 7,5% ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS)

Modo escuro

Continua após a publicidade
O projeto também determina que o período máximo de conexão do trabalhador a uma mesma plataforma não poderá ultrapassar 12 horas diárias (Cris Cantón/Getty Images)

O projeto também determina que o período máximo de conexão do trabalhador a uma mesma plataforma não poderá ultrapassar 12 horas diárias (Cris Cantón/Getty Images)

O governo enviará ao Congresso Nacional um projeto de lei complementar (PLC) para criar direitos mínimos para motoristas de aplicativos. A proposta cria a figura do “trabalhador autônomo por plataforma” e determina que a categoria receberá R$ 32,09 por hora de trabalho e remuneração de, ao menos, um salário-mínimo (R$ 1.412).

Além disso, o texto define uma contribuição do trabalhador de 7,5% ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e outra de 20% paga pelas empresas.

O projeto também determina que o período máximo de conexão do trabalhador a uma mesma plataforma não poderá ultrapassar 12 horas diárias. Para receber o piso nacional, o motorista deve realizar uma jornada de oito horas diárias efetivamente trabalhada.

Leia também:

Como será a regulação do trabalho por aplicativo

  • Cobertura dos custos

Para cada hora efetivamente trabalhada, será pago um valor de R$ 24,07/hora, destinado a cobrir os custos da utilização do celular, combustível, manutenção do veículo, seguro, impostos, entre outros. Esse valor é indenizatório e não compõe a remuneração.

  • Previdência 

Os trabalhadores e trabalhadoras serão inscritos obrigatoriamente no Regime Geral da Previdência Social (RGPS), com regras específicas para o recolhimento da contribuição de cada parte (empregados e empregadores):

1) Os trabalhadores irão recolher 7,5% sobre os valores referentes à remuneração (que compõe 25% da hora paga, ou seja, R$ 8,02/hora);

2) Os empregadores irão recolher 20% sobre os valores referentes à remuneração (que compõe 25% da hora paga, ou seja, R$ 8,02/hora);

As empresas devem realizar o desconto e repassar para a Previdência Social, juntamente com a contribuição patronal.

  • Auxílio maternidade

 As mulheres trabalhadoras terão acesso aos direitos previdenciários previstos para os trabalhadores segurados do INSS.

  • Acordo coletivo tripartite

O trabalhador em aplicativo será representado por entidade sindical da categoria profissional “motorista de aplicativo de veículo de quatro rodas”. As entidades sindicais terão como atribuições: negociação coletiva; assinar acordo e convenção coletiva; e representar coletivamente os trabalhadores nas demandas judiciais e extrajudiciais de interesse da categoria.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Whatsapp caiu nesta quarta? Usuários relatam instabilidades no app
Pop

Whatsapp caiu nesta quarta? Usuários relatam instabilidades no app

Há 20 horas

Depois de investir R$ 7 bilhões no Brasil, a chinesa Kwai tem novos planos para o país
Tecnologia

Depois de investir R$ 7 bilhões no Brasil, a chinesa Kwai tem novos planos para o país

Há um dia

Novo queridinho do Vale do Silício: conheça o Airchat, app que só tem mensagens de áudio
Tecnologia

Novo queridinho do Vale do Silício: conheça o Airchat, app que só tem mensagens de áudio

Há 2 dias

Motoristas da Uber ameaçam deixar cidade e lei trabalhista é revogada nos EUA
Mundo

Motoristas da Uber ameaçam deixar cidade e lei trabalhista é revogada nos EUA

Há 2 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais