Gasolina: postos já exibem preços com duas casas decimais; entenda mudança

Gasolina, Etanol e GNV devem ter valores expressos em duas casas decimais, não mais em três
 (Getty Images/elpidio costa junior)
(Getty Images/elpidio costa junior)
Por Agência O GloboPublicado em 06/05/2022 20:15 | Última atualização em 06/05/2022 19:42Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Os revendedores de combustíveis do país serão obrigados a exibir os preços com duas casas decimais, a partir deste sábado. Mas a corrida para se adequar às normas da Agência Nacional do Petróleo (ANP) já começou nos postos das zonas Norte e Sul do Rio nesta sexta-feira.

Em postos de bairros como São Cristovão, Ilha do Governador, Centro, Copacabana, Lagoa e Laranjeiras os painéis amanheceram já com a nova forma de exibir os valores cobrados nas bombas.

Fique por dentro das principais notícias do Brasil e do mundo. Assine a EXAME

Nos bairros percorridos, O GLOBO só encontrou um posto que ainda tinha três dígitos no painel. O estabelecimento, na Ilha do Governador, era de bandeira branca. Os postos de rede visitados já tinham feito troca.

A ANP decidiu que os preços da gasolina, etanol e GNV agora devem ser exibidos não mais com três, mas com duas casas decimais, tanto no painel de preços quanto nos visores das bombas abastecedoras.

O objetivo, segundo a ANP, é que o preço fique mais claro para o consumidor, evitando leitura errônea dos valores, além de seguirem a expressão numérica da moeda brasileira. Até agora, os preços eram listados com três casas decimais, como são anunciados pela Petrobras.

Os postos não precisarão trocar os módulos numéricos das bombas, o que poderia acarretar em custos.

A Resolução ANP n° 858/2021, diz que será suficiente travar a terceira casa decimal no número zero. A ANP entende que essa medida é suficiente e não gerará dúvidas entre os consumidores, cumprindo o objetivo da mudança. Já no caso dos painéis, todos deverão exibir apenas duas casas decimais.

Segundo a ANP, a mudança vai provocar mudança no preço efetivamente pago pelos motoristas e nem acarretará em perdas relevantes para revendedores.