Economia

Estado concederá 2 mil quilômetros de rodovias até o fim do ano, afirma governo do Mato Grosso

Segundo Mauro Mendes, a malha rodoviária estadual administrada pelo setor privado totalizará 4 mil quilômetros até o fim deste processo

O governador do Mato Grosso, Mauro Mendes, afirmou que a meta do estado é dobrar a malha rodoviária concedida (Gunther de Werk/Exame)

O governador do Mato Grosso, Mauro Mendes, afirmou que a meta do estado é dobrar a malha rodoviária concedida (Gunther de Werk/Exame)

Publicado em 29 de abril de 2024 às 17h37.

Última atualização em 30 de abril de 2024 às 10h24.

O governador do Mato Grosso, Mauro Mendes (União Brasil), afirmou que pretende conceder 2 mil quilômetros de rodovias estaduais à iniciativa privada até o fim do ano. Segundo ele, esse programa deve dobrar para 4 mil quilômetros a malha rodoviária do estado administrada por concessionárias. As declarações foram feitas em entrevista exclusiva ao programa Macro Pauta, da EXAME.

“Vamos fazer um grande programa de concessão neste ano. O Mato Grosso já tem 2 mil quilômetros de rodovias já concedidas a iniciativa privada e vamos conceder mais 2 mil quilômetros até o fim deste ano. Essas concessões vão permitir que o Mato Grosso seja o segundo estado com maior número de rodovias estaduais concedidas, só perdendo para São Paulo”, disse.

Mendes afirmou que a estratégia do governo passa por construir parte das estradas e fazer a concessão para o setor privado para ampliação, melhorias e manutenção. Com isso, o preço da tarifa de pedágio tende a ser menor do que se os investimentos fossem realizados do zero.

Pavimentação aumenta produção agrícola

O Mato Grosso possui 32 mil quilômetros de rodovias estaduais. Quando Mendes assumiu o governo, em 2019, apenas 6,2 mil quilômetros estavam asfaltados. Até 2024, 3,5 mil quilômetros de rodovias foram pavimentadas e a meta, até 2026, é asfaltar mais 2 mil quilômetros.

“É um desafio gigante de asfaltamento porque em todo o estado temos o agronegócio que precisa chegar com caminhão de adubo, calcário, escoar a soja. Além do caminhão da soja, há o deslocamento das famílias”, disse.

Segundo Mendes, além de beneficiar as famílias e a prestação de serviços, o asfaltamento tem efeito direto no aumento da produção agrícola da região. Segundo ele, a área de produção em Nova Maringá aumento de 100 mil para 300 mil hectares após a pavimentação de 100 quilômetros até o município.

Confira a entrevista na íntegra

yt thumbnail
Acompanhe tudo sobre:Mato GrossoExploração de rodoviasConcessões

Mais de Economia

Governo avalia propostas para compensar desoneração da folha neste ano

Lula reclama de decisão do Banco Central sobre taxa de juros: ‘Uma pena que manteve’

Plano Real, 30 anos: Carolina Barros, do BC, e a jornada do Real ao Pix

Plano Real, 30 anos: dinheiro ainda é base de transações, mas 41% dos brasileiros preferem Pix

Mais na Exame