Economia

Energia solar emprega duas vezes mais que carvão nos EUA

Trump prometeu ressuscitar a indústria carvoeira americana, mas são as renováveis que estão florescendo por lá

Em 2016, a força de trabalho solar cresceu 25% em relação ao ano anterior. (Getty Images)

Em 2016, a força de trabalho solar cresceu 25% em relação ao ano anterior. (Getty Images)

Vanessa Barbosa

Vanessa Barbosa

Publicado em 8 de fevereiro de 2017 às 16h42.

São Paulo - Donald Trump tem uma queda assumida pelos combustíveis fósseis, tanto que seu plano para tornar a "América grande de novo" passa por ressuscitar a decadente indústria do carvão . Independentemente dos desejos do presidente americano, uma coisa é inegável  é  a indústria da energia renovável que está florescendo por lá, e isso se reflete na criação de empregos.

Atualmente, o setor de energia solar emprega duas vezes mais pessoas que a indústria carvoeira e já se equipara em número ao setor de gás natural. De acordo com o National Solar Jobs Census 2016, produzido pela ONG The Solar Foundation, a indústria solar já totaliza 260.077 empregos nos EUA, o que representa um em cada 50 postos de trabalho no país.

Em 2016, a força de trabalho solar cresceu 25% em relação ao ano anterior, o maior crescimento desde que o primeiro censo de empregos em energia solar nos Estados Unidos foi lançado, em 2010.

O relatório destaca que o crescimento dos empregos em energia solar ocorreu em todos os sub-setores dessa indústria: nas empresas de manufatura, a alta foi de 26%; os trabalhos de instalação aumentaram 14% e os postos de desenvolvimento de projetos aumentaram em 53%, já os empregos em vendas e distribuição aumentaram em 32%.

De acordo com o estudo, o aumento dos empregos no setor ocorreu graças a uma rápida diminuição no custos dos painéis solares associado à grande demanda do mercado consumidor por instalações solares.

"Mais do que nunca, é claro que a energia solar é uma fonte de energia de baixo custo, confiável e superabundante que está impulsionando o crescimento econômico, fortalecendo as empresas e tornando nossas cidades mais inteligentes e resistentes", declarou em nota Andrea Luecke, presidente da The Solar Foundation.

O número de empregos solares aumentou em 44 dos 50 estados norte-americanos no ano passado, mostrando que o crescimento da indústria solar não é um fenômeno regional. Os cinco estados com o maior número de empregos no setor em 2016 foram a Califórnia, Massachusetts, Texas, Nevada e Flórida.

Acompanhe tudo sobre:CarvãoEmpregosEmpregos verdesEnergia solarEstados Unidos (EUA)Meio ambiente

Mais de Economia

Argentina volta a ter alta de inflação em junho; acumulado de 12 meses chega a 271,5%

Com alíquota de 26,5%, Brasil deve ter um dos maiores IVAs do mundo; veja ranking

Haddad declara ser favorável à autonomia financeira do Banco Central

Dívida dos estados: projeto apresentado por Pacheco precisa passar por revisão, diz Haddad

Mais na Exame