Economia

Empresa desiste de obras no terminal no aeroporto de Confins

A Infraero confirmou o recebimento do documento, enviado no último dia 28 pelo consórcio Marquise/Normatel


	Confins: contrato para reforma em Confins foi prorrogado duas vezes com novas datas e valores
 (JONAS OLIVEIRA/PLACAR)

Confins: contrato para reforma em Confins foi prorrogado duas vezes com novas datas e valores (JONAS OLIVEIRA/PLACAR)

DR

Da Redação

Publicado em 2 de setembro de 2014 às 21h17.

Brasília - O Consórcio Marquise/Normatel, responsável pelas obras de reforma e ampliação do terminal de passageiros do Aeroporto Internacional Tancredo Neves - Confins - Belo Horizonte para a Copa do Mundo, notificou a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), que não renovará a contratação do serviço.

A Infraero confirmou o recebimento do documento, enviado no último dia 28.

De acordo com nota divulgada pelo consórcio, o contrato venceu no dia 30/08.

A não renovação se deve ao “acentuado desequilíbrio econômico-financeiro contratual”, que vem gerando prejuízos à empresa.

No texto, o consórcio diz que os danos foram causados por atrasos na entrega dos projetos para execução das obras e na liberação das frentes de trabalho, além da suspensão da reforma durante o período da Copa.

A paralisação para o Mundial resultou, segundo a empresa, na demissão de empregados, o que gerou prejuízos trabalhistas.

Segundo a Infraero, a situação será avaliada com a concessionária do aeroporto mineiro, a BH Airport. Juntas, vão “definir a melhor forma de dar continuidade aos trabalhos”, diz a resposta enviada pela empresa oficial de controle aeroportuário, que avalia ainda a possibilidade de aplicação de sanções contra o consórcio.

“Conforme previsto em contrato, essa atitude por parte do consórcio prevê a possibilidade de rescisão unilateral do contrato, com aplicação de multa e até penalidade de impedimento em licitar com a Infraero”, diz o texto. Cerca de 51% das obras foram entregues.

O contrato para a reforma em Confins foi prorrogado duas vezes com novas datas e valores.

O prazo inicial para a entrega era 30 de dezembro de 2013. A vigência do contrato vai até novembro deste ano.

Acompanhe tudo sobre:Aeroporto de ConfinsAeroportos do BrasilAviaçãoConsórciosEmpresas estataisEstatais brasileirasInfraeroInfraestruturaServiços

Mais de Economia

Cigarro pode ser taxado em 250% e cerveja em 46%, estima banco

Cade analisa se parceria entre Gol e Azul precisa ser submetida ao órgão

Eletrobras: trabalhadores poderão entrar em greve a partir de 3 de junho

'Esta semana fiquei nervoso porque vi o preço do arroz muito caro no supermercado', diz Lula

Mais na Exame