Comércio paulista cria 10,4 mil empregos em abril, diz FecomercioSP

Resultado de abril é o melhor desde novembro de 2021. Mas inflação e juros altos são risco para o futuro
Comércio: alta se deve em parte à base de comparação fraca em 2021 no auge da pandemia, segundo a Fecomercio (Jorge Araujo/Fotos Públicas)
Comércio: alta se deve em parte à base de comparação fraca em 2021 no auge da pandemia, segundo a Fecomercio (Jorge Araujo/Fotos Públicas)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 16/06/2022 14:27 | Última atualização em 16/06/2022 14:27Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O comércio paulista registrou criação de 10.371 vagas formais de trabalho em abril, após saldo negativo de 5.180 postos no mesmo mês do ano passado.

O resultado se deu a partir de 119.122 admissões e 108.751 desligamentos, e é o melhor desde novembro de 2021. O número também reverte uma perda de 2.600 vagas observada em março. Apesar do resultado, o balanço do setor no quadrimestre é negativo, com perda de 11.337 postos.

Esteja sempre informado sobre as notícias que movem o mercado. Assine a EXAME por menos de R$ 11/mês.

Os dados são da Pesquisa de Emprego no Estado de São Paulo (Pesp), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), a partir de informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

VEJA TAMBÉM: Selic sobe para 13,25%: 5 opiniões do mercado sobre a maior taxa desde 2016

Líder na geração de postos de trabalho formais, o setor de serviços paulista criou 27.938 vagas em abril, um crescimento interanual de 187% em relação a igual período do ano anterior (9.725).

Em nota, a FecomercioSP ressalta que a magnitude do avanço se deve à base de comparação, já que o Estado de São Paulo enfrentava a fase mais restritiva ao funcionamento e à ocupação de estabelecimentos não essenciais em abril de 2021.

VEJA TAMBÉM: Por que a renda do brasileiro é a menor em 10 anos — mesmo com o desemprego caindo

Entre as atividades do comércio, a criação de vagas foi puxada pelo varejo, com saldo positivo de 6.345 postos de trabalho formais.

Os segmentos de comércio por atacado e de comércio e reparação de veículos, por sua vez, criaram 2.647 e 1.379 vagas, respectivamente.

"A recuperação do setor de serviços e o retorno à normalidade no comércio devem dar continuidade nos próximos meses. Entretanto, o cenário exige cautela quanto ao desempenho da geração de receitas desses setores", pondera a FecomercioSP.

"Isso porque a inflação persistente e os reflexos da alta dos juros e dos índices de comprometimento de renda com dívidas anteriores tendem a frear consumo, o desempenho das vendas e, consequentemente, o mercado de trabalho formal."

VEJA TAMBÉM: Bolsonaro anuncia redução do Imposto de Importação de videogame e acessórios