Economia

Cepal estima que economia terá contração de 2,8% em 2015

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe revisou para baixo a projeção de crescimento da atividade econômica da região em 2015


	Moedas de real: no caso do Brasil, a contração da economia deverá ser 2,8% em 2015 e de 1% em 2016
 (Arquivo/Agência Brasil)

Moedas de real: no caso do Brasil, a contração da economia deverá ser 2,8% em 2015 e de 1% em 2016 (Arquivo/Agência Brasil)

DR

Da Redação

Publicado em 5 de outubro de 2015 às 22h30.

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) revisou hoje (5) para baixo a projeção de crescimento da atividade econômica da região em 2015 de 0,5% para -0,3% e estima que, para 2016, o crescimento será em torno de 0,7%.

No caso do Brasil, a contração da economia deverá ser 2,8% em 2015 e de 1% em 2016.

Na projeção anterior, a Cepal calculou que a atividade econômica brasileira deveria recuar 1,5% neste ano.

De acordo com a Cepal, entre os principais fatores para essa redução do crescimento na América Latina e no Caribe estão a fragilidade da demanda interna; a desaceleração das economias emergentes, principalmente da China; a valorização do dólar; uma crescente volatilidade dos mercados financeiros e a queda nos preços dos bens primários.

O comunicado ressalta que as economias da América do Sul especializadas em commodities, principalmente petróleo e minérios, e com crescente grau de integração comercial com a China, vão registrar a maior desaceleração.

O organismo recomenda que, para enfrentar a desaceleração econômica, é crucial reverter a queda na taxa de investimento que afeta a capacidade de crescimento no médio e no longo prazo. “Dinamizar os investimentos constitui tarefa fundamental para mudar a atual fase de desaceleração e alcançar um caminho de crescimento sustentável no longo prazo”, concluiu o comunicado.

Acompanhe tudo sobre:CepalCrescimento econômicoDesenvolvimento econômicoeconomia-brasileira

Mais de Economia

PEC promove "privatização" do BC e pode ter custo fiscal ao país, dizem especialistas

Alckmin destaca compromisso do governo com o arcabouço fiscal

Haddad diz que Brasil é uma “encrenca”, mas que tem potencial de ser “grande”

Brasil está pronto para acordo Mercosul e União Europeia, diz Lula

Mais na Exame