Economia

Arruda aguarda telegrama do STJ para ser liberado da prisão

Brasília – O ex-governador José Roberto Arruda do Distrito Federal (DF) será solto após a chegada de um telegrama à Superintendência da Polícia Federal comunicando a decisão do ministro Fernando Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), pela revogação de sua prisão. Os advogados de Arruda preveem que isso ocorrerá dentro de poucas horas.   […]

EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 10 de outubro de 2010 às 03h42.

Brasília – O ex-governador José Roberto Arruda do Distrito Federal (DF) será solto após a chegada de um telegrama à Superintendência da Polícia Federal comunicando a decisão do ministro Fernando Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), pela revogação de sua prisão. Os advogados de Arruda preveem que isso ocorrerá dentro de poucas horas.

 

A decisão do ministro se estende aos cinco envolvidos nas acusações da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal (PF): o ex-secretário de Comunicação do Distrito Federal, Weligton Moraes; o suplente de deputado distrital, Geraldo Naves; o ex-assessor e sobrinho de Arruda Rodrigo Arantes; o ex-diretor da Companhia Energética de Brasília Haroaldo Carvalho e o ex-conselheiro do Metrô DF, Antonio Bento.
 

O ministro Fernando Gonçalves colocou seu voto pela liberação de Arruda à votação pela Corte na tarde de hoje (12) e, por 8 votos a 5, decidiu-se pela revogação da prisão do ex-governador e dos outros cinco envolvidos no esquema, desbaratado pela PF, de arrecadação e distribuição de propina envolvendo empresários e integrantes do alto escalão do governo do DF.

 

Os envolvidos estão presos na Penitenciária da Papuda e também é aguardada a comunicação oficial da decisão do STJ para a soltura deles.

Acompanhe tudo sobre:Brasíliacidades-brasileirasCorrupçãoEscândalosFraudesPolítica

Mais de Economia

Cigarro pode ser taxado em 250% e cerveja em 46%, estima banco

Cade analisa se parceria entre Gol e Azul precisa ser submetida ao órgão

Eletrobras: trabalhadores poderão entrar em greve a partir de 3 de junho

'Esta semana fiquei nervoso porque vi o preço do arroz muito caro no supermercado', diz Lula

Mais na Exame