Argentina anuncia alta de 50% em subsídio alimentar

No informe mais recente, o índice de preços ao consumidor da Argentina registrou alta de 4,7% em fevereiro ante o mês anterior e avanço de 52,3% na comparação anual
Casa Rosada, sede do governo da Argentina (Getty Images/Ricardo Ceppi)
Casa Rosada, sede do governo da Argentina (Getty Images/Ricardo Ceppi)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 07/04/2022 08:54 | Última atualização em 07/04/2022 08:54Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O governo da Argentina anunciou nesta quarta-feira, 6, um incremento de 50% no subsídio Cartão Alimentar, que conta com 2 4 milhões de titulares e alcança até 4,1 milhões de pessoas no país. Em discurso, o ministro Desenvolvimento Social da Nação da Argentina, Juan Zabaleta, afirmou que o aumento, que ocorrerá a partir de abril, irá ajudar cada cidadão "que necessita".

Ainda na quarta, o presidente do país, Alberto Fernández, postou uma carta escrita pelo Papa Francisco em seu Twitter na qual o líder religioso pede para que haja trabalho para procurar "soluções adequadas" para os problemas que afligem especialmente os mais "debilitados". Fernández respondeu que valoriza as "palavras como um farol para enfrentar os desafios deste tempo".

No informe mais recente, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da Argentina registrou alta de 4,7% em fevereiro ante o mês anterior e avanço de 52,3% na comparação anual. Os setores que lideraram os aumentos foram os de alimentos e bebidas não alcoólicas e transportes.