Alemanha tem queda histórica de 10,1% do PIB no 2º trimestre

Com a pandemia de coronavírus, tanto as exportações como as importações de bens e serviços registraram forte queda

A Alemanha registrou no segundo trimestre de 2020 uma queda histórica de 10,1% do Produto Interno Bruto (PIB), consequência das medidas de restrição aplicadas para limitar a propagação do coronavírus, anunciou nesta quinta-feira o Destatis (Escritório Federal de Estatísticas).

Na comparação com o segundo trimestre de 2019, a queda foi de 11,7%.

"Este o retrocesso mais grave do indicador desde o início das medições trimestrais do PIB na Alemanha em 1970", afirma o Destatis em um comunicado.

O recorde anterior era a queda de 4,7% no primeiro trimestre de 2009, em plena crise financeira mundial.

"No segundo trimestre de 2020, tanto as exportações como as importações de bens e serviços registraram forte queda", destacou o Destatis.

A economia alemã sofreu um choque provocado pelo confinamento, que paralisou a produção de muitos setores, mas que também reduziu o comércio e derrubou a produção.

Em abril, em plena restrição sanitária, a produção industrial, crucial para a maior economia da zona do euro, sofreu uma queda histórica de 17,9%.

Os pedidos da indústria caíram 25,8% e as exportações 31,1%.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.