Economia

Abras vê crescimento menos acelerado nas vendas em 2014

O presidente do conselho consultivo da Abras, Sussumu Honda, acredita que o setor esteja melhor do que outros segmentos do varejo


	Supermercado: em relação a abril de 2013, vendas reais do setor registraram alta de 10,29%
 (Getty Images)

Supermercado: em relação a abril de 2013, vendas reais do setor registraram alta de 10,29% (Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 27 de maio de 2014 às 15h37.

São Paulo - A Associação Brasileira de Supermercados (Abras) considera que o setor supermercadista ainda tem importantes eventos favoráveis para vendas em 2014, o que deve sustentar as projeções de crescimento em torno de 3% este ano.

À reportagem, o presidente do conselho consultivo da Abras, Sussumu Honda, considerou que as taxas de crescimento não são mais fortes como em anos anteriores, mas acredita que o setor esteja melhor do que outros segmentos do varejo.

Honda destaca que a Copa do Mundo é uma oportunidade relevante este ano.

Mesmo que nas grandes capitais as lojas possam operar por menos horas em dias de jogos que forem considerados feriados, há espaço para alta de vendas durante o evento.

"Mesmo que haja feriados, o setor vai ser privilegiado porque esperamos vender bem nesses dias, será como um domingo forte de vendas", comentou. Ele destacou a previsão de alta de vendas em bebidas frias e itens como salgadinhos.

Na avaliação do executivo, ainda não preocupa o setor supermercadista alguns sinais de queda de consumo, o que ele avalia que vem prejudicando mais setores como o automotivo ou o de viagens.

Para ele, a realização de eleições este ano, apesar de trazer incertezas, pode ser positiva.

"Eleição sempre traz aspectos de renda adicional porque há obras em ritmo mais frenético e isso acaba refletindo no varejo", comentou.

As vendas reais do setor supermercadista acumularam alta de 2,82% em abril na comparação com o mês anterior, informou a Abras.

Em relação a abril de 2013, as vendas reais registraram alta de 10,29%. No acumulado dos primeiros quatro meses deste ano, as vendas reais cresceram 2,05%, na comparação com o mesmo período do ano passado.

Acompanhe tudo sobre:ComércioVarejoVendas

Mais de Economia

PEC promove "privatização" do BC e pode ter custo fiscal ao país, dizem especialistas

Alckmin destaca compromisso do governo com o arcabouço fiscal

Haddad diz que Brasil é uma “encrenca”, mas que tem potencial de ser “grande”

Brasil está pronto para acordo Mercosul e União Europeia, diz Lula

Mais na Exame