Sua empresa pode estar fadada ao fracasso se não investir agora nestas duas tendências de RH

Sucesso das companhias está diretamente ligado às pessoas; por isso, upskilling e reskilling são focos de RHs para o desenvolvimento dos colaboradores
Fracasso-sucesso: os bons resultados de empresas estão diretamente ligados às pessoas que nelas trabalham (sefa ozel/Getty Images)
Fracasso-sucesso: os bons resultados de empresas estão diretamente ligados às pessoas que nelas trabalham (sefa ozel/Getty Images)
E
Educação Corporativa 3.0

Publicado em 15/06/2022 às 12:36.

Última atualização em 15/06/2022 às 14:07.

Oi, tudo bem? Eu sou o Henrique Prado, head of Sales & Operations na EXAME. A partir de hoje, vou publicar quinzenalmente no blog Educação Corporativa 3.0 sobre a importância de as empresas investirem no desenvolvimento pessoal e profissional dos seus colaboradores. Te convido para me acompanhar e aprender mais sobre o tema. Boa leitura!

Por Henrique Prado

Como a sua vida era em 2019? Poucas coisas hoje se mantêm exatamente igual há dois anos. A evolução do mundo como um todo estava em curso - afinal, isso nunca deixou de acontecer - e algumas mudanças já eram vislumbradas no médio e longo prazo.

O que ninguém esperava era que a disseminação de um vírus a nível global aceleraria e mudaria tantas coisas em poucos meses. O mercado de trabalho e a educação não ficaram de fora dessa, e novas formas de aprendizado e desenvolvimento de profissionais ganharam espaço no meio corporativo. 

Um dos pontos que mais se destacaram nesse período foi o fato de que o sucesso das empresas está cada vez mais ligado às pessoas. São elas o ativo mais importante de qualquer companhia. Por esse motivo, o desenvolvimento dos colaboradores ganhou ainda mais espaço nas instituições. 

Mas o que isso significa? Quer dizer que, se você não está pensando no desenvolvimento dos seus funcionários, pode começar a se preocupar com o futuro da sua empresa. De acordo com um relatório da consultoria Mercer, nos Estados Unidos, 34% das empresas estão investindo no treinamento e desenvolvimento de habilidades dos colaboradores. 

Isso porque o aprendizado contínuo, conhecido no meio educacional como lifelong learning, tem sido cada vez mais relevante para os funcionários. Um estudo feito pela edtech B.NOUS com 115 pessoas inseridas ou tentando se inserir no mercado de trabalho, revelou que 56,6% dos respondentes encontram-se em situações que, necessariamente, demandam aprimoramento ou desenvolvimento de novas habilidades.  

Mais do que a necessidade do momento de carreira, a busca pelo conhecimento tem sido um desejo dos profissionais. Mais de 91% das pessoas sentem que precisam aprender mais, seja porque existe algo novo, porque seus pares sabem mais do que elas ou porque o mundo está em constante transformação. E mais da metade (52,2%) dos entrevistados entendem que há sempre algo novo a aprender, mesmo sobre algum tema que já sabem.

Outro dado a ser considerado é o de que mais da metade desses profissionais buscam o aprendizado de formas não tradicionais, seja estudando por conta própria (25%) ou a partir de cursos livres (25%). A pesquisa mostra que o ensino tradicional está presente na formação profissional de 41,1% dos participantes, mas também revela a demanda por novas formas de aprendizagem na busca pela atualização profissional. 

É nesse cenário que surgem duas grandes tendências para RHs do mundo todo com foco no desenvolvimento dos colaboradores: upskilling e reskilling. Hoje eu vou te explicar o que significam esses dois conceitos e por que você deveria levá-los agora para o RH da sua empresa. 

Upskilling 

O conceito representa a ação de um profissional para aprimorar seus conhecimentos nas áreas em que já atua, com o objetivo de se atualizar, se desenvolver ainda mais e ter mais domínio sobre o tema. O upskilling tem diversas vantagens para o colaborador e também para a empresa. 

Com um domínio ainda maior das competências que já possui, o profissional estabelece uma maior produtividade, realiza entregas com mais qualidade, desenvolve uma visão analítica e consegue fazer com que seu trabalho tenha maior visibilidade na empresa. Apostar no upskilling representa ainda uma chance de crescimento na carreira. 

Por outro lado, quando as empresas investem no upskilling de seus funcionários têm como benefícios a redução significativa de custos, uma vez que não precisam contratar novos especialistas ao desenvolver talentos internos; além de fortalecer a empresa como marca empregadora. Investir no upskilling também é uma forma de manter o engajamento dos funcionários e fazer deles referência em determinados assuntos, com a possibilidade de treinar outras pessoas futuramente. 

Reskilling

Se o upskilling diz respeito ao aprofundamento em conhecimento já existente, o reskilling significa a busca por novas habilidades com diversos objetivos: se requalificar ou se recolocar no mercado de trabalho; ou ainda assumir novas funções dentro da empresa em que já atua. A companhia pode usar o reskilling como uma ferramenta para desenvolver seus talentos internos para assumir novas funções. A prática também se reverte em uma economia de contratação e no engajamento de funcionários. 

Como o RH pode inserir métodos de upskilling e reskilling na empresa

Tanto o upskilling como o reskilling estão ligados à velocidade do surgimento de novas tecnologias e ferramentas, e à necessidade da constante atualização profissional. Para se ter uma ideia da urgência de empresas adotarem esses métodos de treinamento e desenvolvimento, 9 em cada 10 gerentes não possuem as habilidades necessárias para suas profissões. Os dados são de um relatório da consultoria McKinsey & Company, que mostra ainda que 87% das empresas não possuem hoje o talento que precisarão no futuro.

Ou seja, se a sua empresa não está focada em inserir métodos de treinamento e desenvolvimento focados no up e reskilling, ela pode estar fadada ao fracasso. Para mudar esse cenário, o time de RH deve se posicionar como uma área estratégica e analítica, trabalhando para identificar os pontos fortes dos colaboradores e montar um plano de desenvolvimento individual de acordo com as necessidades de curto e médio prazo da companhia. 

O primeiro passo é buscar ferramentas que ajudem nesse processo. Uma das oportunidades está na EXAME Academy para Empresas, uma plataforma de educação digital com uma curadoria de conhecimento indispensável e essencial para treinar o profissional do futuro na sua empresa. Clique aqui e saiba mais.