OMS aciona alerta máximo e declara emergência global para surto de varíola dos macacos

Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, declarou “emergência de saúde pública de interesse internacional” para surto da varíola dos macacos
 (/Denis Balibouse/Reuters)
(/Denis Balibouse/Reuters)
D
Da Redação

Publicado em 23/07/2022 às 11:48.

Última atualização em 23/07/2022 às 12:01.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou neste sábado, 23, que o surto da varíola dos macacos é uma emergência global.

Em pronunciamento nesta manhã, Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, declarou uma “emergência de saúde pública de interesse internacional”, uma designação que a OMS utiliza atualmente para descrever apenas duas outras doenças: a covid-19 e a poliomielite.

“Temos um surto que se espalhou rapidamente pelo mundo por meio de novos modos de transmissão, sobre os quais entendemos muito pouco e que atendem aos critérios” para uma emergência de saúde pública, disse Tedros à imprensa, em Genebra, na Suíça. A varíola dos macacos se espalhou por dezenas de países nas últimas semanas e já infectou dezenas de milhares de pessoas no mundo todo - inclusive no Brasil.

Ele listou os critérios levados em conta pela OMS para este tipo de decisão: “Primeiro, as informações fornecidas pelos países – que neste caso mostram que esse vírus se espalhou rapidamente para muitos países que não o viram antes”, disse, completando que o segundo motivo são os critérios técnicos do Regulamento Sanitário Internacional; o terceiro é a opinião do conselho, que, neste caso, não tinha chegado a um consenso; o quarto são as evidências e princípios científicos; e o quinto é "o risco para a saúde humana, disseminação internacional e o potencial de interferência no tráfego internacional”.

A decisão de Tedros anula painel de conselheiros da entidade, realizado em junho, e que não tinha conseguido chegar a um consenso sobre o surto da doenç - na época, o número de infectados era cinco vezes menor do que o atual. A situação, segundo o próprio Tedros, reforça a necessidade de aprimoramento do processo para definir quais eventos podem ser considerados emergências de saúde pública.

“Esse processo demonstra mais uma vez que essa ferramenta vital precisa ser aprimorada para torná-la mais eficaz”, disse, acrescentando que os países membros estão considerando maneiras de melhorar o sistema de avaliação atual. É a primeira vez que um diretor-geral da OMS anula um painel do conselho para declarar uma emergência de saúde pública.

É a sétima vez desde 2007 que a OMS declara emergência de saúde pública, sendo a covid-19 o caso mais recente. Com a declaração, a OMS indica uma crise de saúde pública global e a necessidade de um movimento internacional coordenado para conter o surto.

A organização espera, como resposta, que países membros invistam de forma mais significativa no controle da doença. A OMS também encoraja os países a compartilhar vacinas, tratamentos e outros recursos para evitar que a doença se espalhe ainda mais.