Acompanhe:

Metade das espécies animais pode sumir até o final do século

Buscamos vida em outros planetas enquanto aqui na Terra ela é dizimada bem debaixo do nosso nariz

Modo escuro

Continua após a publicidade
 (Peter Ginter/Thinkstock)

(Peter Ginter/Thinkstock)

V
Vanessa Barbosa

Publicado em 4 de março de 2017 às, 07h39.

Última atualização em 19 de outubro de 2018 às, 11h06.

São Paulo - É curioso observar o fascínio que a possibilidade de encontrar vida fora da Terra exerce sobre a espécie humana e se dar conta, ao mesmo tempo, que as incontáveis e variadas formas de vida do nosso Planeta estão sob ameaça. Muito pouco se sabe sobre as riquezas da fauna e flora mundiais e menos ainda se faz para conhecê-las e preservá-las.

Atualmente, uma em cada cinco espécies corre risco de extinção e, no final do século, metade de todas as espécies animais poderá sumir, a menos que um grande esforço global seja feito para salvá-las, alerta um novo relatório. Isso significa combater as mudanças climáticas e controlar o avanço da população sobre os habitats naturais.

Dessa visão compartilham cientistas, ecologistas, acadêmicos e até líderes católicos, muitos dos quais se reuniram no Vaticano nesta semana na Conferência de Extinção Biológica, que discutiu a questão "Como salvar o mundo natural do qual dependemos".

"O tecido vivo do mundo está escorregando por entre os nossos dedos", diz o relatório divulgado pela Pontifica Academia de Ciências, por ocasião da conferência.

"Nosso desejo de consumo cresce mais rapidamente do que nossa população, e a Terra não pode sustentar tudo isso. Nada menos do que um reordenamento de nossas prioridades com base em uma revolução moral poderá manter o mundo da forma como o conhecemos hoje", destaca o documento.

O relatório atribui a redução das espécies principalmente às atividades humanas, que têm afetado os ecossistemas há centenas de anos. A queima de combustíveis fósseis, o desmatamento de florestas para o agronegócio, a construção de cidades em áreas sensíveis, o despejo de resíduos no oceano e a caça excessiva, todas essas atividades tornam a Terra mais hostil aos animais e os empurram para a extinção.

Baseando-se em artigos científicos, o relatório destaca que as populações humanas começaram a crescer rapidamente e superaram a capacidade de muitos sistemas naturais através de um cultivo agrícola e "pastoreio" na maioria das vezes insustentáveis.

O Papa Francisco fez das questões ecológicas uma das principais preocupações da Igreja Católica. A histórica encíclica de 2015, chamada Laudato Si, insta todos os fiéis (cerca de 1,2 bilhão de católicos no mundo) e todas as outras pessoas a protegerem o meio ambiente e combater as mudanças climáticas, a escassez de água e de alimentos e a poluição tóxica.

Últimas Notícias

Ver mais
Empresa privada americana tentará pousar na Lua nesta quinta-feira
Ciência

Empresa privada americana tentará pousar na Lua nesta quinta-feira

Há 5 horas

Astrônomos descobrem buraco negro que engole um Sol por dia e é 500 trilhões de vezes mais brilhante
Ciência

Astrônomos descobrem buraco negro que engole um Sol por dia e é 500 trilhões de vezes mais brilhante

Há 9 horas

Terapia contra câncer aprovada nos EUA usa célula do corpo como "droga viva"
Ciência

Terapia contra câncer aprovada nos EUA usa célula do corpo como "droga viva"

Há 12 horas

Empresa privada mostra primeiras imagens transmitidas por sonda que irá pousar na Lua
Ciência

Empresa privada mostra primeiras imagens transmitidas por sonda que irá pousar na Lua

Há 2 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais