Ciência

Ilha de plástico no Pacífico já tem quase três vezes o tamanho da França

Novas análises revelam que a região contém muito mais plástico que o estimado anteriormente

Sopa plástica: detritos recolhidos durante a expedição de pesquisa. no Pacífico. (The Ocean Cleanup/Reprodução)

Sopa plástica: detritos recolhidos durante a expedição de pesquisa. no Pacífico. (The Ocean Cleanup/Reprodução)

Vanessa Barbosa

Vanessa Barbosa

Publicado em 1 de abril de 2018 às 07h15.

Última atualização em 1 de abril de 2018 às 07h15.

São Paulo - O imenso aglomerado de centenas de milhares de toneladas de detritos plásticos no oceano Pacífico, conhecido como "Great Pacific Garbage Patch", situado entre o Havaí e a Califórnia, tem de quatro a 16 vezes mais lixo plástico do que se imaginava. Segundo uma pesquisa científica, a maior zona de acumulação de detritos plásticos do mundo tem no mínimo o tamanho de três Franças.

Atualmente, ao menos 1,8 trilhão de peças de plástico pesando 80.000 toneladas estão atualmente à deriva na área, o que equivale ao peso de 500 aeronaves Boeing 747. Os dados são de um mapeamento de três anos conduzido por uma equipe internacional de cientistas afiliados à The Ocean Cleanup Foundation, seis universidades e uma empresa de sensores aéreos.

As descobertas foram publicadas na revista Scientific Reports. Para analisar a extensão total de resíduos plásticos, a equipe realizou o mais abrangente esforço de amostragem, cruzando o campo de detritos com 30 navios simultaneamente, complementados por duas pesquisas de aeronaves.

Para aumentar a área de superfície levantada e quantificar os maiores pedaços de plástico - objetos que incluem redes de pesca descartadas com vários metros de tamanho - uma aeronave C-130 Hercules foi equipada com sensores avançados para coletar imagens multiespectrais (que garantem medições de forma muito mais precisa) e imagens 3D do lixo oceânico.

A frota coletou um total de 1,2 milhão de amostras de plástico, enquanto os sensores aéreos escanearam mais de 300 km2 da superfície do oceano.

Os resultados revelam que o depósito flutuante de lixo plástico mede 1,6 milhão de quilômetros quadrados, quase três vezes o tamanho da França. Apenas 8% da massa de detritos é formada por microplásticos, definidos como peças menores que 5 milímetros de tamanho, e os outros 92% são de detritos maiores.

Ao comparar a quantidade de microplásticos com as medições históricas, a equipe descobriu que os níveis de poluição plástica na zona têm crescido exponencialmente desde que as medições começaram na década de 1970.

Acompanhe tudo sobre:Meio ambienteOceanosPlásticosPoluição

Mais de Ciência

Usuários do Wegovy mantêm perda de peso por quatro anos, diz Novo Nordisk

Meteoros de rastros do Halley podem ser vistos na madrugada de domingo

AstraZeneca admite efeito colateral raro da vacina contra covid-19

Aranhas em marte? Fenômeno cria 'aracnídeos' no planeta vermelho

Mais na Exame