Acompanhe:

Idosos, diabéticos e doentes cardíacos: o grupo de risco do coronavírus

Estudo acompanhou pacientes hospitalizados em Wuhan, epicentro do coronavírus na China

Modo escuro

Continua após a publicidade
Coronavírus: idade média das pessoas infectadas era de 56 anos e 62% eram homens (Feature China / Barcroft Studios / Future Publishing/Getty Images)

Coronavírus: idade média das pessoas infectadas era de 56 anos e 62% eram homens (Feature China / Barcroft Studios / Future Publishing/Getty Images)

I
Isabela Rovaroto

Publicado em 11 de março de 2020 às, 18h44.

Última atualização em 12 de março de 2020 às, 12h03.

São Paulo — Estudo realizado com pessoas infectadas pelo novo coronavírus em Wuhan, epicentro da doença na China, indica que pacientes mais velhos, com problemas de coagulação do sangue ou sepse têm maior probabilidade de morrer ao serem infectadas pelo Covid-19, aponta a publicação NewScientist.

No início do surto, dois hospitais ficaram responsáveis pelo tratamento dos infectados na cidade. A pesquisa acompanhou o atendimento de 191 adultos que foram infectados até o dia 31 de janeiro e procurou padrões nas características daqueles que tiveram alta ou morreram.

A idade média das pessoas infectadas era de 56 anos e 62% eram homens. Cerca de metade dos pacientes tratados apresentava condições médicas subjacentes, mais comumente diabetes e pressão alta.

Dos 191 indivíduos, 137 receberam alta e 54 morreram. O tempo médio desde o início da doença até a alta hospitalar foi de 22 dias, segundo a equipe médica. As mortes causadas pelo coronavírus ocorreram em média 18,5 dias após o início dos sintomas.

Grupo de risco

O risco de morte foi maior entre idosos ou que já tinham doenças como diabetes, doença cardíaca coronária, problemas de coagulação e sinais de sepse. No geral, mais da metade das pessoas hospitalizadas com o vírus desenvolveram sepse.

“O maior número de mortes entre as pessoas mais velhas acontece, em parte, por conta do enfraquecimento do sistema imunológico e pelo aumento da inflamação que pode promover a replicação viral e respostas mais prolongadas à inflamação, causando danos permanentes ao coração, cérebro e outros órgãos”, disse o co-autor do estudo Zhibo Liu no Hospital Jinyintan em Wuhan.

A equipe médica também concluiu que pessoas que já entraram em contato com o Covid-19 podem infectar outras pessoas por cerca de 20 dias. "O derramamento viral estendido observado em nosso estudo tem implicações importantes para orientar as decisões sobre precauções de isolamento e tratamento antiviral em pacientes com covid-19 confirmado", disse.

Últimas Notícias

Ver mais
Telescópio James Webb pode ter descoberto mistério de supernova de 1987
Ciência

Telescópio James Webb pode ter descoberto mistério de supernova de 1987

Há 21 horas

Qual é a origem da Lua? Agência espacial do Japão diz ter pistas
Ciência

Qual é a origem da Lua? Agência espacial do Japão diz ter pistas

Há um dia

Empresa dos EUA consegue levar sonda à superfície da Lua após 52 anos
Ciência

Empresa dos EUA consegue levar sonda à superfície da Lua após 52 anos

Há um dia

12 anos da missão Juno: veja imagens impressionantes de Júpiter capturadas pela Nasa
Ciência

12 anos da missão Juno: veja imagens impressionantes de Júpiter capturadas pela Nasa

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais