Ciência

China proíbe edição genética após escândalo de gêmeas

"Incidente é extremamente repugnante e organismos receberam ordens de suspender temporariamente as atividades", disse a agência Xinhua

Genes: He Jiankui disse nesta semana que usou uma tecnologia de edição genética conhecida como CRISPR-Cas9 para alterar os genes embrionários de duas gêmeas nascidas este mês (Svilen Milev/SXC)

Genes: He Jiankui disse nesta semana que usou uma tecnologia de edição genética conhecida como CRISPR-Cas9 para alterar os genes embrionários de duas gêmeas nascidas este mês (Svilen Milev/SXC)

R

Reuters

Publicado em 29 de novembro de 2018 às 16h33.

Xangai - O governo da China ordenou nesta quinta-feira, 29, uma suspensão temporária das atividades de pesquisa de pessoas envolvidas na edição de genes humanos depois que um cientista chinês disse ter editado os genes de bebês gêmeos.

He Jiankui disse nesta semana que usou uma tecnologia de edição genética conhecida como CRISPR-Cas9 para alterar os genes embrionários de duas gêmeas nascidas neste mês. Seu anúncio, que não foi comprovado, provocou um questionamento internacional a respeito da ética e da segurança de tal pesquisa.

"A natureza deste incidente é extremamente repugnante, e os organismos relevantes receberam ordens de suspender temporariamente as atividades de pesquisa científica de pessoas relevantes", disse a agência estatal de notícias Xinhua citando o Ministério da Saúde, o Ministério da Ciência e Tecnologia e a Associação para a Ciência e a Tecnologia da China.

Os organizadores de uma conferência na qual He afirmou ter editado os genes também repudiaram o trabalho nesta quinta-feira, classificando-o como "profundamente perturbador" e "irresponsável".

"Mesmo que as modificações sejam verificadas, o procedimento foi irresponsável e não se conformou às normas internacionais", disse o comitê organizador da Segundo Cúpula Internacional de Edição do Genoma Humano, que aconteceu em Hong Kong nesta semana, em um comunicado.

O comitê pediu uma verificação independente das afirmações de He, que disse que a edição genética ajudará a proteger as meninas de uma infecção de HIV, o vírus que causa Aids.

Acompanhe tudo sobre:ChinaDNAGenoma

Mais de Ciência

Colisão de asteroides é flagrada pelo telescópio James Webb

Componente de protetores solarares encontrado em alimentos gera preocupação nos EUA

Nova promessa de tratamento para Alzheimer avança nos EUA. Como o medicamento funciona?

Por que uma dieta baseada em vegetais nem sempre é saudável?

Mais na Exame