Ciência

Asteroide potencialmente perigoso passará perto da Terra; veja quando

Pertencente ao grupo Apollo, o corpo rochoso tem aproximadamente 1,3 km de diâmetro. Embora seja classificado como potencialmente perigoso, em razão da passagem próxima à Terra, não há risco de colisão

Asteroide: chamado oficialmente de 199145 (2005 YY128), ele fará sua aproximação, mas a uma distância 12 vezes maior que a Lua, a 4,6 milhões de quilômetros (Science Photo Library - ANDRZEJ WOJCICKI/Getty Images)

Asteroide: chamado oficialmente de 199145 (2005 YY128), ele fará sua aproximação, mas a uma distância 12 vezes maior que a Lua, a 4,6 milhões de quilômetros (Science Photo Library - ANDRZEJ WOJCICKI/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 15 de fevereiro de 2023 às 14h49.

Última atualização em 15 de fevereiro de 2023 às 15h32.

A agência espacial americana (Nasa) está monitorando um grande asteroide que passará perto da Terra entre a noite desta quarta-feira, 15, e a madrugada desta quinta, 16. Chamado oficialmente de 199145 (2005 YY128), ele fará sua aproximação, mas a uma distância 12 vezes maior que a Lua, a 4,6 milhões de quilômetros.

"Estamos rastreando o asteroide 199145 (2005 YY128) e conhecemos sua órbita, Não há ameaça de impacto [com a Terra]", informou a Nasa Asteroid Watch em rede social.

Pertencente ao grupo Apollo, o corpo rochoso tem aproximadamente 1,3 km de diâmetro. Embora seja classificado como potencialmente perigoso, em razão da passagem próxima à Terra, não há risco de colisão.

"Terá um encontro relativamente próximo e obviamente seguro com nosso planeta", disse o Virtual Telescope Project, referência na cobertura e compartilhamento em tempo real dos principais fenômenos celestes.

Treino para salvar o planeta

Em outubro do ano passado, a Nasa lançou com sucesso mais uma fase da missão Dart (ou, em português, "Teste de Redirecionamento de Duplo Asteroide") para desviar o curso de um asteroide de 160 metros em um "treinamento" para salvar a Terra em futuras ameaças.

"Todos nós temos uma responsabilidade de protegermos nosso planeta. Afinal, ele é o único que temos", disse Bill Nelson, administrador da agência, na ocasião. "Essa missão mostra que a Nasa está tentando ficar pronta para o que quer que o Universo jogue na nossa direção."

Acompanhe tudo sobre:AsteroidesNasaPlaneta Terra

Mais de Ciência

Einstein estava certo sobre a gravidade em buracos negros, diz estudo

'Saquinho' de nicotina ganha adeptos para perda de peso

Usuários do Wegovy mantêm perda de peso por quatro anos, diz Novo Nordisk

Meteoros de rastros do Halley podem ser vistos na madrugada de domingo

Mais na Exame