Novo filme biográfico de Marilyn Monroe tem Ana de Armas em versão platinada

Filme relembra a história de Marilyn Monroe no aniversário de 60 anos de sua morte
Ana de Armas como Marilyn no filme Blonde: críticas pelo sotaque. (Netflix/Divulgação)
Ana de Armas como Marilyn no filme Blonde: críticas pelo sotaque. (Netflix/Divulgação)
J
Julia StorchPublicado em 28/09/2022 às 09:25.

Em maio deste ano, o nome de Marilyn Monroe voltou ao centro das atenções. O famoso vestido usado pela atriz californiana enquanto cantava parabéns ao presidente John F. Kennedy foi emprestado para Kim Kardashian para o Met Gala. O tema do evento era a Era Dourada dos Estados Unidos.

Qual é a coisa mais americana em que você pode pensar? Marilyn Monroe”, disse Kardashian sobre a escolha da peça icônica. Após o evento, as pesquisas no Pinterest por “Marilyn Monroe icon” cresceram sete vezes e o termo “Marilyn Monroe ­tattoo” teve aumento de 95%. Símbolo de liberdade sexual na época, a atriz ainda tem muitas questões expostas e reveladas atualmente, mesmo 60 anos após a sua morte.

Alguns dias antes do evento de moda, a Netflix lançou o documentário O Mistério de Marilyn Monroe: Gravações Inéditas, sobre a fatídica noite de 4 de agosto de 1962, data de falecimento de Marilyn. Vinte anos mais tarde, o caso foi reaberto com novas informações sobre a investigação sobre a morte da atriz, com áudios até então inéditos.

Mas ainda há espaço para mais dramatização em torno da atriz de cabelos loiros. Desta vez, quem dará corpo e voz à Marilyn será a atriz cubana (e morena) Ana de Armas, no longa Blonde, que estará no mês que vem na Netflix.

Criticada nas redes sociais pelo sotaque cubano, Armas teve a atuação defendida pelo grupo que mantém o espólio de Marilyn. “Com base apenas no trailer, parece que Ana foi uma ótima escolha de elenco, pois captura o glamour, a humanidade e a vulnerabilidade de Marilyn. Mal podemos esperar para ver o filme na íntegra”, disse Marc Rosen, presidente de entretenimento do Authentic Brands Group (ABG), dono do Marilyn Monroe Estate à Vanity Fair.

Já a caracterização de Armas é impecável ao vestir réplicas de peças memoráveis, como o vestido rosa do filme Os Homens Preferem as Loiras (1953) e o branco com frente única do longa O Pecado Mora ao Lado (1955). O figurino é assinado por Jennifer ­Johnson, que também produziu as peças da patinadora Tonya Harding no filme Eu, Tonya.

Blonde é baseado no best-seller homônimo de Joyce Carol Oates, que reimagina a vida da atriz desde a infância volátil como Norma Jeane até a fama e os relacionamentos, e mistura realidade e ficção e o lado público e o lado privado da atriz. A estreia aconteceu no Festival de Veneza, e chega hoje à Netflix.

Conheça a newsletter da EXAME Casual, uma seleção de conteúdos para você aproveitar seu tempo livre com qualidade.