Com Fernando Meirelles, evento gratuito sobre saúde mental começa hoje

Fernando Meirelles, Rodrigo Santoro, Denise Fraga e Gilberto Gil se juntam ao evento sobre saúde mental que acontece nesta semana

Com a pandemia e o isolamento social, a saúde mental virou uma questão para as empresas: 37% delas registraram aumento de doenças psiquiátricas entre os funcionários desde março, de acordo com pesquisa da consultoria Falconi. A partir desta segunda-feira, 19, o tema ganha os holofotes em um série de debate entre artistas e psicanalistas na Semana da Cultura Psi. Até o dia 22, o festival online e gratuito vai promover reflexões sobre saúde mental com ajuda da arte e cultura.

Hoje, às 18h, o evento começa com uma conversa sobre culpa no filme "Dois Papas". O cineasta e diretor do longa da Netflix, Fernando Meirelles, é o convidado junto com o médico Joel Birman. Nos dias seguintes, o festival terá a presença do Rodrigo Santono com Vladimir Safatle, que usarão o filme "Heleno" para debater o preconceito em torno de transtornos mentais.

Na quarta-feira, 21, Denise Fraga e Mariam Homem conversarão sobre a saúde mental durante a pandemia. No último dia, 22, Gilberto Gil e Vera Iaconelli encerram o ciclo com comentários da música "Andar com Fé".

Os debates mostram que a cultura vai além do mero entretenimento. Para o trabalho, o consumo de arte antes de dormir pode impulsionar a criatividade. Quando há contato com música ou uma pintura, o cérebro pode entrar em frequências ligadas a resolução de problemas, criatividade, fluidez de pensamento, meditação e epifanias.

Filmes, séries, músicas, fotografias e pinturas também têm uma influência grande em nossas emoções. O evento, realizado pela consultoria Relações Simplificadas em parceria com o Unibes Cultural, é uma oportunidade de aliar esses benefícios da arte com os conhecimentos de filosofia e psicanálise.

E é mais uma oportunidades para conversar sobre saúde mental no ambiente de trabalho. Em junho, próximo à marca de 50 mil mortos pela pandemia no Brasil, uma pesquisa liderada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro registrou um aumento de mais de 90% em casos de depressão, e de mais de 70% nos relatos de crise aguda de ansiedade.

O problema chamou a atenção das empresas, que procuraram investir em programas de bem-estar com meditação, espaços de conscientazação sobre a temática e consultas com psicólogos. Segundo o médico, PhD e professor internacional da Fundação Dom Cabral, Roberto Aylmer, a questão já era um problema em janeiro e a pandemia foi mais empurrão para desestabilizar a mente de todos. “Nosso cérebro não aguenta tanto tempo tocando o alarme”, fala ele no podcast Entre Trampos e Barrancos.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.