Bússola
Um conteúdo Bússola

Institutos Sabin e Horas da Vida levam telemedicina a comunidades carentes

Parceria vai oferecer tratamento completo e gratuito em atenção primária

Prevista para acontecer de julho a dezembro deste ano, a ação conta com diversas especialidades médicas (BSIP/Universal Images Group/Getty Images/Bloomberg)

Prevista para acontecer de julho a dezembro deste ano, a ação conta com diversas especialidades médicas (BSIP/Universal Images Group/Getty Images/Bloomberg)

B

Bússola

Publicado em 16 de julho de 2021 às 18h43.

Última atualização em 16 de julho de 2021 às 18h54.

O Instituto Sabin e o Instituto Horas da Vida vão oferecer uma jornada completa de atenção primária à saúde para os beneficiários de organizações sociais por meio da plataforma de telemedicina oferecida pela Filóo Saúde. Os médicos vão atender pacientes nos estados do Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.

“Esta é mais uma importante iniciativa em favor da saúde e qualidade de vida das pessoas assistidas nas mais de 40 organizações sociais atendidas pelo projeto Saúde +, do Instituto Sabin. A parceria com o Instituto Horas da Vida vai proporcionar uma série de benefícios ao projeto e às comunidades”, diz Gabriel Cardoso, gerente do Instituto Sabin.

O programa oferece exames realizados nos laboratórios do Grupo Sabin de Medicina Diagnóstica e atua, também, na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs), além de oferecer diagnósticos e tratamento de outras patologias a pessoas em diz de vulnerabilidade social.

Prevista para acontecer de julho a dezembro deste ano, a ação vai oferecer ainda atendimento gratuito nas especialidades de clínica geral, dermatologia, ginecologia e pediatria. Em cada uma das organizações haverá um responsável por realizar o agendamento das teleconsultas para os beneficiários.

Tanto o Instituto Sabin quanto o Instituto Horas da Vida estão engajados em iniciativas que fomentam práticas de responsabilidade e inclusão social, e o acesso gratuito à saúde para pessoas em situação de vulnerabilidade social. “Com esta ação e juntamente com a plataforma de telemedicina oferecida pela Filóo Saúde, ampliaremos nossa atuação para 12 estados brasileiros e o Distrito Federal. É um projeto piloto, mas a ideia é que se torne perene”, diz Elisangela Tolosa, diretora de Desenvolvimento Institucional do Horas da Vida.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedInTwitter | Facebook | Youtube

Veja também

Acompanhe tudo sobre:CoronavírusDoençasMedicinaPandemiaSaúde

Mais de Bússola

Publi no saquinho de pão: ele projeta faturar R$ 1 milhão vendendo anúncios em embalagem de padaria

Que tal morar em um home resort? Como funciona novo empreendimento de meio bilhão de reais no RJ

Cavaleiros olímpicos e campeões brasileiros são atrações do Concurso de Saltos Santo Antônio, no RJ

Gestão Sustentável: a matriz elétrica do Brasil e a complexidade do desenvolvimento sustentável

Mais na Exame