Rio já recebeu 22 mil denúncias de aglomeração em bares e restaurantes

Reabertura dos estabelecimento foi autorizada apenas nesta quinta-feira (2). Aglomerações foram registradas na Praça Cazuza, no Leblon

Criado em março para receber denúncias de aglomerações que infringiam as regras de isolamento social, o “Disk-Aglomeração” da cidade do Rio já recebeu quase 100 mil denúncias. Dentre elas, 22,4 mil relatos de aglomerações em bares e restaurantes da cidade, o segundo maior registro no sistema. O líder em denúncias são aglomerações em áreas públicas. Na noite desta quinta-feira, O GLOBO flagrou uma aglomeração de 300 pessoas na Praça Cazuza, no Leblon, consumindo bebidas alcoólicas.

Dados da prefeitura do Rio mostram que as Zona Oeste e Norte lideram o número de denúncias em bares em restaurantes, sendo Campo Grande, com 1.783 registros, o bairro mais denunciado. Já na Zonal Sul, Copacabana, com 775 denúncias, foi o recordista e o terceiro em todo o Rio. Copacabana é o bairro com mais casos de Covid-19 na cidade, enquanto Campo Grande lidera com mais óbitos registrados.

No ranking geral de aglomerações, a Zona Oeste lidera o número de denúncias, tendo registrado quase a metade. Os seis bairros com mais registros são da região: Campo Grande, Realengo, Bangu, Santa Cruz, Barra da Tijuca e Taquara.

O número de denúncias no “disk-aglomeração” vem caindo semana a semana, mas somente no primeiro dia de julho, o sistema já registrou 135 cariocas reclamando da quebra das regras de isolamento social. O mês de maio foi o que mais concentrou as denúncias, quando foram abertos 44 mil registros no sistema.

Clientes descumprem regras

Na noite desta quinta-feira, a Guarda Municipal precisou intervir na aglomeração formada no Leblon. Os agentes determinam o fechamento de bares do entorno da Praça Cazuza para tentar dispersar cerca de 300 pessoas que, aglomeradas, bebiam sem máscara e descumpriam as regras de isolamento social na calçada. Ainda assim, uma banca de jornal e ambulantes continuaram vendendo bebidas alcoólicas na praça, o que contribui para a permanência das pessoas. A Polícia Militar foi acionada. A aglomeração permaneceu até por volta da meia-noite. Pela regra de reabertura, o horário de funcionamento de bares e restaurantes é até 23h.

As imagens de bares e calçadas lotados no Leblon repercutiram nas redes sociais e foram alvo de críticas de internautas que defendem o distanciamento social em um momento em que a taxa de contágio ainda é alta no Estado. Alguns posts irônicos também surgiram no Twitter como reação à alta procura pelos estabelecimentos diante do contexto atual. Em um vídeo postado na noite desta quinta-feira no Twitter, é possível escutar um homem dizendo: “Tudo voltando ao normal, graças a Deus”.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.

Você já leu todo conteúdo gratuito deste mês.

Assine e tenha o melhor conteúdo do seu dia, talvez o único que você precise.

Já é assinante? Entre aqui.

Plano mensal Revista Digital

Plano mensal Revista Digital + Impressa

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

R$ 15,90/mês

R$ 44,90/mês

Plano mensal Revista Digital

Acesse ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

ASSINE

Plano mensal Revista Digital + Impressa

Acesse ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças + Edição impressa quinzenal com frete grátis.

ASSINE