Brasil

Quem é João Pedro Gebran Neto, relator do julgamento de Lula

Relator da apelação de Lula é amigo pessoal de Moro e conhecido por sentenciar penas duras para réus

O relator, o desembargador João Pedro Gebran Neto (Sylvio Sirangelo/TRF4/Divulgação)

O relator, o desembargador João Pedro Gebran Neto (Sylvio Sirangelo/TRF4/Divulgação)

Talita Abrantes

Talita Abrantes

Publicado em 24 de janeiro de 2018 às 13h01.

Última atualização em 25 de janeiro de 2018 às 11h41.

São Paulo — Desembargador no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) desde 2003, o relator João Pedro Gebran Neto é o primeiro magistrado a dar seu voto no julgamento do recurso ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre o caso do triplex do Guarujá.

Em um voto de 430 páginas, cuja leitura já dura mais de duas horas (acompanhe a cobertura do julgamento de Lula ao vivo), o desembargador afirmou de que há provas claras de que o triplex teria sido reservado a Lula. Segundo ele, "há prova acima do razoável que o ex-presidente foi um dos principais articuladores, se não o principal, do esquema na Petrobras”.

Gebran é conhecido por ser amigo pessoal do juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba e autor da condenação em primeira instância de  Lula. Em um de seus livros jurídicos, o desembargador chegou a agradecer o magistrado pelo apoio para a conclusão da obra.

Em outubro, a defesa de Lula questionou a relação de ambos na Justiça e pediu para que o desembargador se declarasse impedido de julgar o ex-presidente por esse motivo. Gebran rechaçou o pedido e afirmou que a amizade é juridicamente irrelevante.

A revista VEJA desta semana lembra que o desembargador é autor dos votos que garantiram as mais duras punições da Operação Lava Jato. Exemplo disso é a pena imposta ao ex-diretor da Petrobras Renato Duque pelo TRF4 em um julgamento sob relatoria de Gebran: na primeira instância, ele foi condenado a 20 anos e 8 meses de prisão. Sob a relatoria do desembargador, a punição passou para 43 anos e 9 meses de reclusão.

Natural de Curitiba, Gebran tem 52 anos de idade e tem pós-graduação em Ciências Penais e Processuais Penais pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e mestrado em Direito Constitucional pela mesma instituição.

O desembargador foi promotor de Justiça do Paraná e juiz federal desde 1993 e atuou no Tribunal Regional Eleitoral do estado no biênio de 2006-2008. Integra o Comitê Executivo do Fórum Nacional de Saúde, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o qual presidiu em 2010.

yt thumbnail

 

Mais de Brasil

Com aeroporto de Porto Alegre fechado, base aérea de Canoas vai receber voos comerciais; entenda

Como será o inverno de 2024 no Brasil? Estação deve ter dias de calor e até 3ºC acima da média

Vai ter greve do Metrô amanhã? Sindicato se reúne nesta terça para decidir sobre paralisação

Sobe para 161 número de mortos devido às fortes chuvas no RS; veja serviços parados

Mais na Exame