Acompanhe:

PT define nomes para a CPI do 8 de Janeiro e exclui Lindbergh; saiba quem são os indicados

Partido do ex-presidente Jair Bolsonaro, PL já escolheu os parlamentares que vão integrar colegiado

Modo escuro

Continua após a publicidade
8 de janeiro: O Partido Liberal (PL), do ex-presidente Jair Bolsonaro, também definiu os nomes que indicará para compor as vagas na CPI (EDISON BUENO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO/Reprodução)

8 de janeiro: O Partido Liberal (PL), do ex-presidente Jair Bolsonaro, também definiu os nomes que indicará para compor as vagas na CPI (EDISON BUENO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO/Reprodução)

Líder do PT na Câmara, o deputado Zeca Dirceu (PR) confirmou os nomes dos indicados pelo partido para enfrentar a bancada bolsonarista na Comissão que vai apurar as responsabilidades pelos ataques às sedes dos Três Poderes. Nome dado como certo no colegiado, Lindbergh Farias (RJ) ficou de fora.

Veja quem foram os indicados

Os selecionados foram: Rubens Pereira Jr (MA), Rogério Correia (MG) e Jandira Feghali (PCdoB-RJ), que serão titulares. Caberá a Arlindo Chinaglia (SP), Carlos Veras (PE) e Delegada Adriana Accorsi (GO) a suplência. As recentes críticas de Lindbergh em relação ao Arcabouço Fiscal, tema tido como prioritário entre os governistas, foram decisivas para que ele ficasse de fora. Já a escalação de Adriana Accorsi se deve ao fato de se tratar de uma policial.

Vagas na CPI

O Partido Liberal (PL), do ex-presidente Jair Bolsonaro, também definiu os nomes que indicará para compor as vagas na CPI: a legenda terá, como titulares, André Fernandes (CE) — autor do pedido de criação da comissão —, Eduardo Bolsonaro (SP) e Alexandre Ramagem (RJ), como já havia sido antecipado pelo GLOBO. Nikolas Ferreira (MG), o pastor Marco Feliciano (SP) e Felipe Barros (PR) serão suplentes.

Enquanto isso, o União Brasil, que vive uma crise com o governo por não entregar votos em pautas relevantes, apesar de ter indicado três ministros, definiu que Kim Kataguiri (SP) será o suplente de Arthur Maia (BA), que é tido como favorito para ocupar a presidência do colegiado. Integrante do Movimento Brasil Livre (MBL), Kim é opositor do Palácio do Planalto e protagonizou embates com o ministro da Justiça, Flávio Dino, durante depoimento à Comissão de Segurança da Câmara. Como suplente, ele terá direito à fala em sessões.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Governo abre mais duas ações no STF contra leis estaduais sobre armas
Brasil

Governo abre mais duas ações no STF contra leis estaduais sobre armas

Há 5 dias

Cid presta novo depoimento à PF sobre áudios com críticas a Moraes
Brasil

Cid presta novo depoimento à PF sobre áudios com críticas a Moraes

Há 6 dias

Ida de Bolsonaro à Embaixada da Hungria não configurou busca por asilo político, avalia PGR
Brasil

Ida de Bolsonaro à Embaixada da Hungria não configurou busca por asilo político, avalia PGR

Há uma semana

São Paulo, Rio e Brasília ficam na lanterna em ranking global de Smart Cities
Mundo

São Paulo, Rio e Brasília ficam na lanterna em ranking global de Smart Cities

Há uma semana

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais