Brasil

Primeiro transporte hidroviário público na Billings é inaugurado em SP; saiba como vai funcionar

Prefeitura da capital paulista espera beneficiar pelo menos 385 mil moradores da zona sul

O Aquático-SP entrou em operação nesta segunda (Edson Lopes Jr/Secom/Divulgação)

O Aquático-SP entrou em operação nesta segunda (Edson Lopes Jr/Secom/Divulgação)

Mateus Omena
Mateus Omena

Repórter da Home

Publicado em 13 de maio de 2024 às 18h11.

Última atualização em 13 de maio de 2024 às 18h57.

Considerado o primeiro transporte hidroviário público em São Paulo, o Aquático-SP foi lançado nesta segunda-feira, 13, na represa Billings, zona sul, pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB).

Segundo a prefeitura, o novo modal deve beneficiar 385 mil moradores dos bairros Grajaú, Cocaia e Pedreira. Ele funciona em operação assistida, com duas embarcações que conectam os terminais Cantinho do Céu e Parque Mar Paulista Bruno Covas em 12 e 17 minutos, em comparação com os 80 minutos de trajeto de ônibus.

O período de operação assistida está programado das 10h às 16h, oferecendo viagens gratuitas até 31 de dezembro de 2024, com duas embarcações em serviço. Nesta fase, o navio Bororé I acomoda apenas passageiros sentados, com capacidade para 60 pessoas.

Durante esse período, há também um barco de apoio em operação, com capacidade para transportar até 30 passageiros, realizando o percurso em 12 minutos.

“É um momento de alegria para a cidade, com mais um modal de transporte, agora o hidroviário, que iniciamos hoje, com a operação assistida, funcionando das 10h às 16h, levando os passageiros do Cantinho do Céu ao Terminal Mar Paulista Bruno Covas, ambos com ônibus elétrico fazendo a integração, auxiliando a locomoção das pessoas até o Terminal Santo Amaro, com interligação à rede de ônibus, Metrô e CPTM”, declarou o prefeito Ricardo Nunes, durante a inauguração nesta tarde.

A prefeitura também informou que o Aquático-SP será integrado com o transporte por ônibus, aceitando o Bilhete Único, e inaugurando duas novas rotas de ônibus, com o intuito de melhorar a mobilidade na região.

A gestão também afirmou que, durante o período de operação assistida, das 10h às 16h, há a expectativa de atender cerca de 3 mil passageiros por dia com as duas embarcações.

“Começamos com um barco de 60 [vagas] e um de 30 [vagas] e depois a gente vai ampliando o horário e as embarcações. É uma questão de cuidado para a gente não errar e fazer de acordo com os estudos e levantamentos”, disse Nunes.

Novas linhas de ônibus elétricos

A prefeitura de São Paulo também anunciou que serão introduzidas duas novas linhas de ônibus elétricos, com o propósito de promover a mobilidade e a integração entre os sistemas de ônibus e hidroviário.

Para conectar o Mar Paulista ao Terminal Santo Amaro, a primeira linha deve oferecer viagens semiexpressas para que os deslocamentos fiquem mais rápidos aos passageiros. Os ônibus da linha 627M-10 Mar Paulista-Terminal. Santo. Amaro, que partirão após a chegada do Aquático-SP, farão paradas em apenas três pontos estratégicos ao longo do percurso: na Avenida Miguel Yunes, 485, e nos números 20.201 e 22.013 da Avenida das Nações Unidas.

No Terminal Santo Amaro, um dos maiores da cidade, com mais de 60 opções de linhas, os passageiros terão acesso a toda a cidade por meio de ônibus e também pelo sistema metroferroviário.

A segunda linha, 606C-10 Cantinho do Céu, vai funcionar em circuito na região do Cantinho do Céu, conectando o Terminal Hidroviário Parque Linear Cantinho do Céu aos demais itinerários que servem o bairro.

Acompanhe tudo sobre:sao-paulomobilidade-urbanaRicardo Nunes

Mais de Brasil

STF e big techs fecham acordo contra desinformação; X fica de fora

Fim da emissão talão de multas faz Detran-SP economizar R$ 6 milhões em um ano

Rodoviária de Porto Alegre reabre depois de um mês sem funcionar

Comissão da Câmara aprova PL que inclui plano de saúde pet como benefício da CLT

Mais na Exame