Brasil

Planos de operações para a Copa são discutidos em Natal

O evento reuniu representantes dos governos federal, estaduais e municipais envolvidos na preparação do Mundial e do Comitê Organizador Local (COL) da Copal


	Arena das Dunas, em Natal: estádio receberá quatro jogos da Copa do Mundo em junho
 (Portal da Copa)

Arena das Dunas, em Natal: estádio receberá quatro jogos da Copa do Mundo em junho (Portal da Copa)

DR

Da Redação

Publicado em 30 de janeiro de 2014 às 18h31.

Mobilidade urbana, segurança, aeroportos, hospedagem e receptivo turístico, saúde e vigilância sanitária, cultura, meio ambiente, telecomunicações e energia, comunicação e voluntariado foram os temas discutidos nesta quinta-feira (30), em Natal, na primeira reunião de trabalho deste ano sobre os planos operacionais para a Copa do Mundo, que será disputada em junho e julho próximos em 12 cidades brasileiras.

O evento reuniu representantes dos governos federal, estaduais e municipais envolvidos na preparação do Mundial e do Comitê Organizador Local (COL) da Copal.

Segundo o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, a capital norte-rio-grandense foi escolhida para o encontro por ter sido a primeira cidade-sede que não recebeu jogos da Copa das Confederações, no ano passado, a entregar o estádio pronto para o Mundial de Futebol.

Nas duas próximas semanas, haverá reuniões idênticas nas outras cinco sedes em que não houve jogos da Copa das Confederações.

A Arena das Dunas. em Natal, receberá quatro jogos da Copa do Mundo em junho, todos válidos pela primeira fase da competição: México x Camarões, no dia 13;, Gana x Estados Unidos, no dia 16; Grécia x Japão, no dia 19; e Uruguai x Itália, no dia 24.

Acompanhe tudo sobre:cidades-brasileirasCopa do MundoEsportesEstádiosFutebolNatal (RN)

Mais de Brasil

Quem é Mello Araújo, anunciado como vice de Nunes em São Paulo

Lula anuncia R$ 194 milhões para construção de 1,3 mil casas no Piauí

Justiça Federal homologa acordo para preservação da Cinemateca

Nunes e Tarcísio confirmam ex-chefe da Rota indicado por Bolsonaro como vice

Mais na Exame