Brasil

Os políticos que já viraram máscara de Carnaval

Graça Foster é a mais nova máscara ligada ao noticiário político; antes dela vieram Joaquim Barbosa, Tiririca, além de Dilma Lula e FHC.

. (Ricardo Moraes/Reuters)

. (Ricardo Moraes/Reuters)

Mariana Desidério

Mariana Desidério

Publicado em 16 de fevereiro de 2015 às 10h42.

São Paulo – A máscara do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró foi vetada neste Carnaval. Cerveró ameaçou processar quem fabricasse o artigo com seu rosto. Porém, ainda há muitas opções para quem não quer esquecer a política nos dias de folia.

A mais nova opção é a máscara da ex-presidente da Petrobras Graça Foster. A fantasia surgiu após o escândalo de corrupção na Petrobras, e é produzida principalmente pela fábrica Condal, do Rio de Janeiro. Também há as opções com os rostos de Dilma Rousseff, Lula, Aécio Neves e Fernando Henrique Cardoso.

A procura por máscaras de políticos no Carnaval costuma acompanhar o noticiário do país. Em 2013, foi a vez do ex-ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Joaquim Barbosa. Na época, o julgamento do mensalão havia acabado de terminar, e Barbosa, como relator do caso, estava em alta.

Não foi só o ex-ministro que rendeu fantasias no escândalo do mensalão. Em anos anteriores, durante as apurações sobre o caso, muitos foliões foram para a rua vestidos de José Dirceu, Marcos Valério e Roberto Jefferson (este também na versão “olho roxo”).

Também fez sucesso em outros carnavais a máscara do deputado federal Tiririca. O artigo foi um dos mais procurados no Carnaval de 2011, logo após a eleição, quando Tiririca foi o deputado mais votado do país. 

Veja nas fotos acima os políticos que já viraram máscara de Carnaval.

Acompanhe tudo sobre:CarnavalExecutivos brasileirosGraça FosterMulheres executivasPolítica

Mais de Brasil

Lula critica falta de acordo entre Zelensky e Putin: 'Estão gostando da guerra'

STF dá 5 dias para Tarcísio e Alesp explicarem reembolso de procuradores por 'excesso de trabalho'

Remessas de até US$ 50 batem recorde e chegam a 16,6 milhões antes de volta da taxação

Irmã de Juscelino Filho também é indiciada pela PF em inquérito sobre suposto desvio de emendas

Mais na Exame