Acompanhe:

Os ministérios de Dilma que podem ser cortados na reforma

Segundo o jornal O Globo, das dez pastas que serão extintas, quatro continuarão com o mesmo orçamento e número de funcionários. Veja quais são elas.

Modo escuro

Continua após a publicidade

	A presidente da República, Dilma Rousseff
 (Ueslei Marcelino/Reuters)

A presidente da República, Dilma Rousseff (Ueslei Marcelino/Reuters)

V
Valéria Bretas

Publicado em 27 de agosto de 2015 às, 14h16.

São Paulo – Na última segunda-feira, o governo da presidente Dilma Rousseff anunciou - sem muitos detalhes - que o número de ministérios pode ser reduzido para 29 pastas como uma medida para melhorar as contas públicas. No entanto, nos bastidores, a estratégia não deve trazer um impacto financeiro tão relevante.

Segundo informações do jornal O Globo, que teve acesso a um possível esboço da reforma ministerial, quatro das dez pastas cotadas para fazer parte do enxugamento da máquina pública devem só perder o status de ministério.

Na prática, elas podem continuar com o mesmo número de funcionários, orçamento e gastos com custeio. Segundo a publicação, fariam parte desta lista o Banco Central, a Advocacia Geral da União, o Gabinete de Segurança Institucional e a Controladoria Geral da União.  

Esse, contudo, não deve ser o destino das secretarias de Assuntos Estratégicos, Aviação Civil, Portos, Relações Institucionais e Micro e Pequena Empresa. Segundo um ministro adiantou para a publicação, tais pastas serão realmente cortadas. 

Por outro lado, de acordo com o documento, o governo estuda manter as secretarias de Direitos Humanos, Igualdade Racial, Mulheres e o ministério do Desenvolvimento Agrário.

Todas - exceto a Secretaria de Relações Institucionais - respondem por quase 7 bilhões de reais do orçamento do Governo Federal. A meta de redução fiscal anunciada pelo ministro da fazenda, Joaquim Levy, é de 8,7 bilhões, anunciada em julho pelo ministro da Fazenda.

A reforma administrativa só colocará fim na estrutura das pastas. A função, custeios e o pessoal de cada uma delas serão incorporados aos outros ministérios.

Se o estudo, de fato, sair do papel, as secretarias de Aviação Civil e Portos podem ficar ao cargo do Ministério dos Transportes; Pesca e Micro e Pequena Empresa com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio; Relações Institucionais sob o comando da Casa Civil e o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada pode voltar a supervisão do Ministério do Planejamento.

Segundo o documento, o governo estuda manter as secretarias de Direitos Humanos, Igualdade Racial, Mulheres e o ministério do Desenvolvimento Agrário.

Últimas Notícias

Ver mais
PF prende dono de sítio suspeito de ajudar fugitivos de presídio de Mossoró
Brasil

PF prende dono de sítio suspeito de ajudar fugitivos de presídio de Mossoró

Há 10 horas

Em primeiro voto no STF, Dino é a favor de vínculo empregatício entre Uber e motoristas
Brasil

Em primeiro voto no STF, Dino é a favor de vínculo empregatício entre Uber e motoristas

Há 11 horas

Mendonça autoriza empresas a renegociarem acordos de leniência fechados na Lava-Jato
Brasil

Mendonça autoriza empresas a renegociarem acordos de leniência fechados na Lava-Jato

Há 13 horas

Projeto de lei quer proibir que motorista de aplicativo cobre passageiro pelo uso do ar-condicionado
Brasil

Projeto de lei quer proibir que motorista de aplicativo cobre passageiro pelo uso do ar-condicionado

Há 14 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais